Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda o que é necessário para trabalhar no Japão

A- A+

Para muita gente, trabalhar no Japão é uma oportunidade de juntar dinheiro e conhecer as origens de seus familiares. A maioria dos trabalhadores que saem do Brasil em busca de oportunidade de empresa no país asiático é composta de descendentes de japoneses que migraram para nosso País no início do século XIX.

Conhecidos como decasséguis – palavra de origem japonesa que significa sair da terra natal para ir trabalhar em outro lugar –, ele são filhos e netos de japoneses que acreditam que trabalhar no Japão é uma forma mais rápida de levantar dinheiro para a realização de seus sonhos.

seudinheiro-Trabalhar-no-Japao

Deve-se solicitar o visto para trabalhar no Japão. Foto: iStock, by Getty Images

A imigração japonesa para o Brasil teve início no começo do século XIX, quando milhares de japoneses migraram para o País para trabalhar na lavoura cafeeira. Há cerca de 25 anos, com a mudança da situação política e econômica dos dois países, os brasileiros descendentes de japoneses começaram a imigrar para o Japão em busca de empregos na crescente indústria da ilha asiática.

Visto para trabalhar no Japão

O primeiro passo para os descendentes ou seus cônjuges que querem trabalhar no Japão é conseguir o Certificado de Elegibilidade. Esse documento é emitido pelo Departamento de Controle de Imigração do Ministério da Justiça do Japão e é apresentado na hora do desembarque no país. Sua função é atestar que a atividade que o estrangeiro pretende exercer no Japão está de acordo com uma das qualificações de permanência.

Para a obtenção do Certificado de Elegibilidade, o requerente deve ter parente residente no Japão, já que o documento só é liberado pela Imigração Japonesa diante de um fiador que more no país.

Depois de obter o certificado, o decasséguis deve solicitar o visto para trabalhar no Japão. Esse tipo de visto é temporário, mas permite que o imigrante trabalhe no país durante uma temporada de longa estada. Ele foi criado no início da década de 1990, a partir de mudanças da legislação de imigração japonesa. Além do Certificado de Elegibilidade, para receber o visto, é preciso também que o requerente entregue um atestado de antecedentes criminais. Veja a lista de documentação completa no site da Embaixada Japonesa.

Atualmente, várias agências se responsabilizam por ajudar o requerente na solicitação da documentação e na busca por um emprego em diferentes áreas da indústria japonesa: autopeças, eletrônicos, alimentos e outras.

Dificuldades para se trabalhar no Japão

Apesar de ainda atrair muito descendentes, trabalhar no Japão não é fácil, principalmente em virtude da pesada carga de trabalho e da jornada ser mais extensa. Como o cálculo dos salários é feito por horas trabalhadas, é muito comum que os descendentes optem por trabalhar horas extras. As fábricas também costumam ter turnos de trabalho noturno.

Além do trabalho excessivo, os decasséguis têm que enfrentar problemas relacionados ao choque cultural, dificuldade com a língua e mesmo solidão, já que as jornadas mais longas impedem que os trabalhadores tenham mais horas de lazer e convívio social.

Uma vantagem, no entanto, é que, com a alta do dólar, a moeda japonesa, o iene, também se valoriza em relação ao Real, aumentando o poder de compra dos descendentes que trabalham no Japão e mandam remessas de dinheiro para os parentes que ainda moram no Brasil.

Este artigo lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

o que são benefícios assistenciais
melhor lugar para trabalhar
Já sabe o que fazer quando terminar a faculdade
Nome sujo impede contratação
Cuidando das finanças no lar
Recolocação no mercado com o LinkedIn