Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda o que é e como funciona a previdência complementar

A- A+

Quem deseja ter uma vida financeira estável na aposentadoria certamente não conta apenas com a previdência social. Com raras exceções, o valor normalmente fica abaixo do esperado. A previdência complementar, mais conhecida como previdência privada, é uma opção para engordar a renda e manter o mesmo padrão de vida no fim da carreira.

Ela funciona como uma espécie de poupança em que o usuário decide com quanto irá contribuir mensalmente e o momento certo de sacar o valor.

Dessa forma, é possível retirar todo o saldo ao final do plano ou recebê-lo em parcelas como uma aposentadoria ou pensão tradicional. Contudo, convém ter ciência de que é um investimento em longo prazo, e seu resultado é melhor conforme o tempo que se poupa e o volume de dinheiro aplicado.

Na previdência complementar, os valores são aplicados pela entidade gestora com base em cálculos atuariais. Esse investimento possui dois tipos distintos: aberto e fechado.

Homem calculando a previdência complementar.

Planos privados são alternativa para complementar a renda após aposentadoria. Foto: iStock, Getty Images

Previdência complementar aberta

Esta modalidade é comercializada por bancos e seguradoras e pode ser adquirida por quem desejar, inclusive pessoa jurídica. Sua fiscalização cabe à Superintendência de Seguros Privados (Susep), vinculada ao Ministério da Fazenda.

É um investimento de baixíssimo risco, mas, se não respeitado o longo prazo, não há vantagem. Um saque efetuado em menos de dois anos tem incidência de 35% de Imposto de Renda.

Na modalidade Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) não há declaração de IR ao longo do tempo, mas paga-se imposto no saque. Já no tipo Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) o valor é declarado no IR, mas no saque paga-se apenas sobre o lucro, e não sobre o total dos recursos.

Previdência complementar fechada

São planos – também conhecidos como fundos de pensão – criados por empresas, públicas ou privadas, onde os beneficiários são exclusivamente funcionários dessas organizações. A fiscalização fica a cargo da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) – autarquia ligada ao Ministério da Previdência Social.

Nesse caso, quando o funcionário se aposenta, passa a receber o dinheiro em parcelas. Se for desligado da empresa antes, pode sacar todo o fundo.

É interessante que, em muitas empresas, a organização aplica uma parte igual à que você contribui. Assim, já arranca com 100% de lucro, o que não ocorre em outros investimentos.

Você vai se interessar por:

Vantagens para você

Em ambos os casos, o benefício pode ir além da aposentadoria. O usuário geralmente conta com proteção contra risco de morte, acidentes, doenças, invalidez e outros casos.

Se você gosta desse tipo de vantagem, precisa conhecer o Seguro de Vida Plus. Com ele, você protege seus beneficiários em caso de morte e morte acidental e ainda conta com auxílio funeral. Entre em contato com Central de Relacionamento – Parceria Seguros Vivo e contrate o seu.

> Seguros para Você: Conheça seguros de vida e acidentes pessoais

Gostou das dicas sobre a previdência complementar? Então deixe um comentário!

O controle financeiro pessoal e o futebol
Planejando a aposentadoria de pessoa com deficiência
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns