Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda como vai funcionar a nova placa do Mercosul

A- A+

Pessoas com mais de 30 anos (e boa memória) devem lembrar da época em que os automóveis tinham placas de fundo amarelo. Em breve, as atuais, com fundo cinza, é que ficarão na lembrança, pois uma nova mudança vem aí. Os carros brasileiros terão uma nova placa, de acordo com um sistema comum a todos os países do Mercosul.

Quem usará a nova placa

Antes de ter um dor de cabeça pensando nos custos que terá com a nova placa, saiba que nem todos precisarão modificá-las. A obrigatoriedade será apenas para veículos novos e para aqueles transferidos de município e com troca de categoria, conforme o Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Nova placa terá diversas medidas de segurança para evitar a clonagem. Foto: Ministério das Cidades, Divulgação

Nova placa terá diversas medidas de segurança para evitar a clonagem. Foto: Ministério das Cidades, Divulgação

O que muda com a nova placa

A nova placa terá o emblema do Mercosul, o nome e bandeira do país, faixa holográfica, código bidimensional 2D, domicílio de registro (UF e município) e marca d’água, entre outras mudanças.

Com as modificações, Brasil, Venezuela, Argentina, Uruguai e Paraguai utilizarão um sistema padronizado, com quatro letras e três algarismos. Conforme o Denatran, a nova placa permitirá mais de 450 milhões de combinações, enquanto a atual permite pouco mais de 175 milhões.

Mas a mudança vai muito além do visual. A nova placa teve sua proposta elaborada por representantes do bloco econômico Mercosul. Com seu uso, o controle de identificação da placa será nacional, inibindo a clonagem de veículos. Elas serão fabricadas por empresas credenciadas do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Atualmente, as chapas são impressas por empresas ligadas aos Detrans locais. Sua produção é feita de forma livre, sem qualquer fiscalização na forma semiacabada. A nova placa terá o mesmo formato em todas as categorias, com alteração na cor do código alfa-numérico e da borda (que deverão combinar).

Conforme o Ministério das Cidades, a clonagem de placas no Brasil, atualmente, é bastante elevada. Não somente visando furtos, mas vem também dos proprietários, com a intenção de driblar a fiscalização e evitar multas.

A divisão será entre carros particulares (cor preta), comerciais (vermelha, o que inclui táxis e veículos de aprendizagem), especial (verde), oficial (azul),  diplomáticos e consulares (dourado), e de colecionador (na cor prata). Além dos veículos de passeio, caminhões, ônibus e motocicletas zero quilômetro entrarão no novo sistema de identificação.

nova-placa

Brasil, Venezuela, Argentina, Uruguai e Paraguai utilizarão um sistema padronizado. Foto: iStock, by Getty Images

Conforme publicado na Diário Oficial da União de 30 de abril, as novas placas serão utilizadas a partir de 1º de janeiro de 2017. Este prazo adiou em um ano a mudança, inicialmente prevista para 2016. O adiamento foi em função de pendências nos sistemas de informática e nos controles de segurança da fabricação.

Segurança para o seu carro

Hoje em dia, não é preciso ser expert em mecânica para manter seu carro bem cuidado. Serviços como o Vivo Assistência Casa e Auto oferecem eletricista e encanador para casa, socorro mecânico para seu automóvel e chaveiro para ambos.

> Vivo Assistência Casa e Auto: Garanta chaveiro e socorro mecânico para seu carro

E você, o que acha sobre a mudança? Deixe seu comentário.

como calcular a reforma de um apartamento
quanto custa um seguro de casa
como escolher uma seguradora de veiculos
preço de imoveis começa a cair
o que são benefícios assistenciais
economizar no seguro da casa