Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda como funciona o cheque especial

A- A+

Poucas expressões do mercado financeiro causam tanto temor ao consumidor quanto o cheque especial. Usado para garantir maior segurança ao cliente em suas operações mensais, a modalidade não deve ser vista como um bicho-papão: somente o seu mau uso é que coloca o cidadão em situação de perigo.

De forma simples, o cheque especial é um contrato existente entre o cliente e a instituição bancária de sua escolha, em que ela disponibiliza, sem necessidade de aprovação, um valor em crédito vinculado à conta corrente. Resumindo, no caso de momentaneamente a conta bancária não ter recursos para suprir débitos existentes, o dinheiro do cheque especial cumpre essa função. Logicamente, o banco cobrará uma taxa pelo seu uso, além de juros e encargos proporcionais ao tempo e quantia utilizada.

cheque-especial

Utilização da modalidade com cautela é recomendação do Serasa. Foto: iStock, by Getty Images

 

Cautela no uso do cheque especial

Um problema muito comum relacionado ao cheque especial é o vício no seu uso. Clientes acabam utilizando a quantia vinculada à conta como uma espécie de segundo salário, o que é condenado por 10 entre 10 especialistas. Como os juros cobrados para a utilização desse dinheiro estão entre os maiores do mercado, é preciso controle e disciplina no trato com as finanças.

A recomendação do Serasa para a utilização da modalidade é a cautela. De acordo com o órgão, o cheque especial só deve ser usado em casos de emergência financeira e só quando o consumidor tiver condições de cobrir o valor utilizado até o vencimento do cheque especial.

Educação financeira

Para que os números do cheque especial não virem uma bola de neve, o cliente precisa de controle. “É preciso ter o controle das rédeas das suas finanças e mudar os hábitos em relação à utilização e administração do dinheiro, buscando educar-se financeiramente”, explica Reinaldo Domingos, educador e terapeuta financeiro.

E é justamente a falta de controle vista hoje em dia que eleva os números de endividamento no país. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontou um índice de endividamento das famílias de 59,6% em março de 2015, contra 57,8% do mês anterior.

“Para as famílias quebrarem o ciclo do endividamento é necessário ajudar a ampliar o repertório da população sobre finanças, de forma consistente e carregada de sentido prático, para que assimilem, o mais cedo possível, a importância do equilíbrio financeiro para o bem-estar individual e social”, completa Domingos.

Monitore o seu CPF

Já imaginou um serviço que alerta cada vez que houver consultas ou movimentações em seu CPF? Entre as funções do Vivo Alerta CPF, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nas bases de dados da Serasa e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado. Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Gostou das dicas sobre cheque especial? Compartilhe!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças