Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda as medidas econômicas para controlar a economia no país

A- A+

Assim que o presidente em exercício Michel Temer assumiu seu posto, uma das primeiras ações foi anunciar medidas econômicas para controlar a economia, reagindo a um cenário difícil, de inflação e desemprego em alta, desconfiança internacional e a palavra “crise” dominando o noticiário.

Medidas econômicas para controlar a economia

A proposta da atual gestão é a devolução de, pelo menos, R$ 100 bilhões da dívida do BNDES com o Tesouro Nacional – que é considerado o cofre do governo – de forma gradativa, em um prazo de 24 meses. Esses recursos, no entanto, serão destinados a gastos primários, e não para cobrir o rombo de R$ 170,5 bilhões das contas públicas (que, aliás, continuará em aberto).

Até o momento, o governo ainda não anunciou nenhum aumento de impostos, mas também não descarta essa atitude no futuro.

Mas e você, contribuinte, como é impactado pelas medidas econômicas para controlar a economia e o que pode fazer para manter suas contas em dia? Saber enfrentar a crise com inteligência é fundamental, considerando que o poder aquisitivo do brasileiro vem caindo em função da alta constante dos preços da cesta básica e dos demais itens.

Analisando as medidas econômicas para controlar a economia

Elaborar o orçamento mensal é fundamental para manter as contas em dia. Foto: iStock, Getty Images

Como cuidar do seu bolso na crise

Não precisa ser um expert em economia para saber que é preciso tomar algumas medidas caseiras para evitar problemas financeiros, não é mesmo? Veja o que você pode (e deve) fazer para manter as contas no azul.

1. Controle seu orçamento

Se você ainda não engrenou no mecanismo das planilhas para o registro do orçamento doméstico, comece antes que seja tarde. O primeiro passo é anotar todos os seus ganhos, os seus gastos (inclusive os variáveis) e ver se há alguma sobra.

2. Corte gastos supérfluos

Na atual conjuntura, cortar gastos supérfluos é o mínimo que se pode fazer para manter as contas em dia, uma vez que o custo de vida, de forma geral, subiu muito. Em muitos casos, é preciso repensar o padrão de vida como um todo, revendo os gastos com lazer, com automóvel e outras contas mais pesadas.

3. Faça uma lista de compras

É fundamental que, antes de fazer suas compras no supermercado, você faça uma lista e não fuja dos itens que anotou. Isso evita os gastos excessivos, sobretudo as compras de produtos que já tem em casa. Organizar a despensa também é uma forma de fugir das compras desnecessárias.

4. Evite parcelamentos

Em tempos de instabilidade financeira, não é aconselhável fazer parcelamentos, sejam curtos ou longos. Exceto em caso de necessidade, o melhor mesmo é poupar e comprar à vista, para evitar o endividamento que pode levar a negativar o nome.

Você vai se interessar por:

Crédito Bonificado Governo: vantagens para você

Se você é cliente Vivo e participa de algum programa de estímulo à nota fiscal em seu estado ou município, pode trocar os créditos por recargas Vivo, tanto no Pré-Pago quanto no Plano Controle. E o melhor: com o Crédito Bonificado Governo, você ainda ganha um bônus que dobra o valor do crédito, aumentando o benefício. Não perca tempo e faça seu cadastro: é rápido e sem nenhuma tarifa.

> Crédito Bonificado Governo: Troque valores em nota fiscal por créditos Vivo

E você, como percebe as medidas econômicas para controlar a economia? Comente!

vale a pena usar roupas de marca
feiras de trocas
Saiba como ganhar uma renda extra com aluguel
não consigo pagar o aluguel
trabalho temporario no canadá
trabalho temporário no exterior