Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda a fórmula de juros compostos para calcular parcelas

A- A+

Eles estão mais presentes em nossas vidas do que imaginamos e são bastante utilizados pelo comércio e pelos bancos. Eles são usados para cálculos de compras a prazos e incidem nos mais variados tipos de empréstimos e investimentos. Os juros compostos são, na verdade, o tipo de regime de juros mais comum utilizado atualmente pelo sistema financeiro. Você conhece a fórmula de juros compostos?

Definição de juros compostos

De maneira geral, os juros compostos são os juros de um determinado período somados ao capital para o cálculo de novos juros nos períodos seguintes. Parece complicado? Na verdade, é. De modo simples, os juros compostos são aqueles chamados de “juros sobre juros”.

seudinheiro-formula-de-juroo-composto

Com um pouco de paciência, juros compostos podem ser calculados com calculadora comum. Foto: iStock, by Getty Images

Simples ou complicados, os juros compostos são utilizados na remuneração das cadernetas de poupanças, no cálculo de crédito rotativos, nas parcelas de financiamento de veículos e imóveis e em empréstimos pessoais solicitados em bancos e financeiras. Se não há muito como fugir deles, o melhor é tentar entender como eles são calculados e afetam o seu bolso.

Vocâ vai se interessar por:
Descubra o que são os juros capitalizados
Saiba como funciona a simulação de empréstimo
Fundos imobiliários: descubra o que são e como investir

Geralmente, o melhor modo para se calcular os juros compostos é mesmo usando uma calculadora financeira. O Excel também pode ser um aliado no cálculos desse bicho de sete cabeças da matemática financeira. Com um pouco de paciência e esforço, e a depender das alíquotas e quantidade de juros a serem calculados, dá até para fazer essas contas com papel e caneta.

Fórmula dos juros compostos

Antes de entender o cálculo dos juros compostos, é preciso saber como funcionam os juros simples. Em caso de juros aplicados a dívidas ou investimentos, estes podem ser considerados uma taxa fixa.

Exemplo: se você parcelou uma compra com taxa fixa, o cálculo das parcelas usará a lógica do juros simples. Se a compra foi de R$ 10 mil parcelada a uma taxa fixa de 5% ao mês durante o período de cinco meses, o cálculo é fácil:

10 mil parcelado em 5 vezes = R$ 2 mil por mês.

5% de R$ 2 mil = R$ 100

Cada parcela será de R$ 2.100,00

O total da compra será de R$ 10.500,00.

No caso dos juros compostos, os juros gerados a cada período são incorporados ao principal para o cálculo dos juros do período seguinte. Essa incorporação é chamada de capitalização.

Usando o mesmo exemplo anterior, se por acaso a mesma compra seguisse a lógica dos juros compostos para o cálculo das parcelas, teríamos:

1ª parcela – R$ 2.000 + 5% de juros = R$ 2.100,00

2ª parcela – R$ 2.100 + 5% de juros = R$ 2.205,00

3ª parcela – R$ 2.205 + 5% de juros = R$ 2.315,25

4ª parcela – R$ 2.315,25 + 5% de juros = R$ 2.431,01

5ª parcela – R$ 2.431,01 + 5% de juros = 2.552,56.

Valor total da compra sairia por R$ 11.603,82.

A mesma compra parcelada com juros compostos traria uma diferença de R$ 1.103,82 em relação à taxa fixa dos juros simples.

Para facilitar nossa vida, existe uma fórmula matemática que auxilia no cálculo dos juros compostos. A fórmula, no entanto, tem que ser utilizada para calcular cada parcela mês a mês.

M = P x (1+i)n

M = montante final

P  = montante inicial (R$ 2 mil)

i = taxa de juros (5%)

n = período

Gostou das dicas de fórmula de juros compostos? Cadastre-se e receba nossa newsletter.

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças