Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda a diferença entre ativos e passivos financeiros

A- A+

Quem busca ampliar conhecimentos sobre finanças, pode se deparar com termos que, a princípio, são de difícil compreensão. Já ouviu falar sobre ativos e passivos financeiros, por exemplo? A diferença básica é que, enquanto o primeiro é um mecanismo de ganho, o segundo é sinônimo de gasto. Mas há muito mais sobre eles que você precisa saber.

Cálculo de ativos e passivos financeiros

Seu carro é um exemplo de passivo, pois gera despesas no orçamento. Foto: iStock, Getty Images

Exemplos de ativos e passivos financeiros

Apesar dos nomes técnicos, a explicação é simples. Pode ser considerado ativo qualquer bem ou investimento que irá render um dinheiro extra. Uma casa destinada à locação, investimentos bancários, negócios em geral e venda de direitos – de livros, músicas, patentes industriais – são bons exemplos.

passivos são bens adquiridos que geram despesa, seja em função da manutenção ou simplesmente por resultar em mais uma dívida, como é o caso das compras parceladas. Um carro particular, por exemplo, é um passivo, pois requer manutenção e impostos.

A compra de outros bens, de custo relativamente alto, também é considerada passivo. Um computador, um móvel caro, uma cozinha sob medida. Enfim, tudo o que exige mais do seu orçamento, pago de forma parcelada, tecnicamente é considerado um ônus.

Simples, mas nem tanto

Em muitos casos, contudo, a diferença entre ativo e passivo não está no bem, mas na forma como será utilizado. Uma casa, por exemplo, é um ativo quando serve para aluguel (gerando renda ao proprietário), mas é um passivo quando destinada à moradia própria. Nesse caso, acarreta despesas mensais e impostos.

Você vai se interessar por:

Categorias de ativos e passivos financeiros

Quando se trata do universo empresarial, os ativos e passivos se subdividem em várias categorias. Veja quais são elas:

Tipos de ativos

  • Ativo circulante: É tudo o que se tem a receber em curto prazo, até o término do exercício social da sua empresa – intervalo entre um balancete financeiro e outro. São exemplos o dinheiro em caixa ou em bancos, as duplicatas e os estoques.
  • Ativo disponível: Todas as contas que podem ser liquidadas imediatamente. Um exemplo é o dinheiro disponível em caixa.
  • Ativo diferido: Os gastos que a empresa teve, mas que podem ser resgatados mais adiante. As despesas com a pré-organização da empresa, investimento em pesquisas e pagamentos feitos com o intuito de reestruturar societariamente a organização são alguns exemplos.
  • Ativo fictício: Valores que constam somente no balanço patrimonial, mas que não fazem parte do patrimônio da empresa.
  • Ativo oculto: Montantes que existem, porém não constam no balanço patrimonial.
  • Ativo permanente: Receitas que não precisam ser transformados em dinheiro, não havendo prazo para venda, ultrapassando um exercício social.
  • Ativo realizável a longo prazo: Tudo o que a empresa tem para receber após o término de seu exercício social, como o valor de empréstimos realizados a sócios ou acionistas.

Tipos de passivos

  • Passivo a descoberto: Quando o ativo da empresa é menor do que o passivo. Assim, é mostrado o saldo devedor.
  • Passivo circulante: Tudo o que deve ser pago até o final do exercício social da empresa – como duplicatas, empréstimos, salários de funcionários.
  • Passivo exigível a longo prazo: Pagamentos que serão feitos após o término do exercício social da empresa.
  • Passivo fictício: Aparecem no balanço patrimonial, mas já não existem, pois foram quitadas.
  • Passivo não exigível: A empresa não é obrigada a pagar essas despesas.

 

Tirou suas dúvidas sobre ativos e passivos financeiros? Compartilhe esse conteúdo!

O controle financeiro pessoal e o futebol
quando vale a pena comprar título de capitalização
oscilações da Bolsa de Valores
investir para viajar
agência de classificação de risco
investimento para quem tem ate R$ 10 mil