Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Dinheiro: o que fazer quando ele acaba antes do fim do mês?

A- A+

O dinheiro pode até ter acabado, mas não faltam dias do mês pela frente e dívidas para pagar. A realidade é refletida pelos dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que mostraram que 61,9% das famílias brasileiras possuem algum tipo de financiamento ou empréstimo.

A negociação com instituições financeiras costuma ser a medida para quitar os débitos, mas é preciso atenção, pois nem sempre é necessário recorrer a essa alternativa. Mesmo quando ela é a escolha, alguns cuidados podem ajudar a evitar ainda mais problemas com a falta de dinheiro.

Para evitar que o dinheiro chegue ao fim antes do tempo, planeje o orçamento. Foto: iStock, Getty Images

Para evitar que o dinheiro chegue ao fim antes do tempo, planeje o orçamento. Foto: iStock, Getty Images

Alternativas para garantir o dinheiro necessário

Para o assessor financeiro do EuQueroInvestir.com, Juliano Custodio, o caminho para ter dinheiro é um só: poupar. Com o planejamento adequado, é possível economizar na própria renda e guardar uma porcentagem para emergências ou o pagamento de dívidas que possuam taxa de juros muito alta. O ideal é deixar a quantia em uma poupança, que rende lucro, mesmo que pequeno, e fica longe da tentação das compras.

“Objetos de desejo não lhe fazem ter mais segurança financeira ou um futuro melhor. Precisamos conter estes impulsos de compras, em prol de um benefício maior”, explica Custodio.

Um bom caminho para isso é organizar uma planilha financeira com os seus gastos, anotando tudo que entra e sai de dinheiro. A partir daí, é possível definir uma meta para economizar e, se for preciso, estabelecer um plano para aumentar a sua renda. Sem controle e sem poupar, não há milagre.

E quando, mesmo assim, o dinheiro não é suficiente? Para o fundador do site Minhas Economias, Décio Kimura, existem poucas alternativas e a principal delas é o empréstimo com amigos ou parentes.

“Esta é uma ótima opção, pois além pagar juros baixos, você também não precisará pagar o Imposto sobre Operações Financeiras, conhecido como IOF. Em compensação, se você não pagar o empréstimo na data combinada, certamente terá menos amigos e os eventos familiares poderão ser constrangedores”, pondera Kimura.

Vale a pena pegar dinheiro com os bancos?

Para essa pergunta, a resposta dos especialistas costuma ser negativa. Conforme explica Kimura, de uma maneira geral, o ideal é não recorrer a empréstimos bancários e preferir pagar as contas à vista. Há, porém, algumas exceções.

Conforme Kimura, se você já está endividado e sem previsão de sair dessa, uma boa alternativa é renegociar a dívida e buscar empréstimos mais baratos. Trocar a dívida do cartão de crédito por um empréstimo consignado, por exemplo, que costuma ter juros mais baixos.

Dependendo da situação, o empréstimo também pode funcionar quase como um investimento. Se ele for uma forma de melhorar o seu negócio e dar retornos que vão garantir mais dinheiro no orçamento, vale a pena cortar alguns gastos, controlar mais a renda e investir. No entanto, isso só deve ser feito se houver boas expectativas de que a empresa gere mais lucros.

Tarifas em bônus

Para evitar ainda mais dívidas, quer uma forma de economizar em tarifas bancárias? Conheça o Vivo Conta Bônus, que converte integralmente o valor da tarifa em bônus no seu Vivo Móvel Pré, Pós ou Controle. Os benefícios, disponibilizados em até 7 dias úteis após o débito da tarifa, ficam disponíveis por 30 dias a partir da data de concessão.

> Conta Bônus: Transforme tarifas bancárias e anuidade do cartão em bônus para o celular
sonho de consumo
como lucrar vendendo cachorro quente
como lucrar vendendo bolo no pote
como abrir uma franquia de alimentos
como abrir uma empresa de coleta de entulho
mão aberta