Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Descuidos com botijão de gás afetam segurança e também o seu bolso

A- A+

Se você cozinha em casa, é provável que tenha um fogão e que o use para preparar suas refeições. Conforme o modelo do eletrodoméstico, há a companhia de um botijão de gás – e, com ele, a atenção deve ser redobrada. Descuidos na compra, manuseio e manutenção podem expor sua segurança e, na melhor das hipóteses, gerar prejuízos ao bolso.

Seja no botijão mal instalado ou por falhas no abastecimento encanado, um vazamento de gás é um atalho para acidentes, que podem ter consequências muito graves ou, no mínimo, fazer você pagar mais do que realmente consome.

Depósito de botijão de gás

Botijão de 13kg é o tipo mais comum presente nas residências dos brasileiros. Foto: Arquivo, Agência Brasil

Segurança no uso do botijão de gás

Preocupada com os riscos que o botijão de gás oferece, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) elaborou uma série de dicas de segurança para prevenção de acidentes em casa.

A entidade indica como primeiro passo verificar se o botijão de gás está com vazamentos. Para isso, é necessário apenas passar uma esponja com água e sabão na entrada localizada entre a válvula e o botijão. Caso haja algum vazamento, surgirão bolhas.

A Proteste dá ainda quatro dicas que, se forem consideradas, podem manter a sua casa mais segura e seu bolso protegido de prejuízos. Confira:

Olho no botijão

A marca da distribuidora, o certificado do Inmetro e o prazo de validade devem estar descritos no botijão, na mangueira e no regulador de pressão. Assim, é possível saber que os itens usados foram testados e aprovados por entidades especializadas.

Verifique a segurança

Não aceite botijões com lacre rompido, alças soltas ou sem identificação da distribuidora. E não faça extensões da mangueira de gás, ou seja, não junte uma mangueira na outra.

Cuidado no armazenamento

O botijão de gás deve permanecer sempre na posição vertical e nunca ser armazenado em locais fechados, como dentro do armário da cozinha. Nunca passe a mangueira por trás do fogão.

A Proteste recomenda ainda que o botijão fique a uma distância de 1,50m de interruptores, tomadas, instalações elétricas e ralos.

Feche o gás

Se não estiver usando o fogão deixe o registro de gás fechado para evitar vazamentos. Em casos de suspeitas de escape de gás, desligue todas as instalações elétricas da casa e abra as janelas. Não acenda fósforos ou isqueiros. Em um incêndio, retire as pessoas do local e entre em contato com o Corpo de Bombeiros no número 193.

Conheça seus direitos

Denúncias de irregularidades com os equipamentos, sejam eles botijões de gás ou encanamento, podem ser feitas no Corpo de Bombeiros.

Você vai se interessar por:

Os tipos de botijão de gás

Conforme o Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (IPEM-SP), o gás de cozinha chegou ao consumidor brasileiro em 1937. Seu nome técnico é gás liquefeito de petróleo (GPL), que é engarrafado sob pressão.

O botijão, por sua vez, é feito com chapas de aço e existem tipos diferentes do produto, de acordo com a quantidade de gás engarrafado e a sua utilidade.

O botijão de 2kg (P2) é usado em lampiões, o de 5kg (P5) pode ser usado em fogões e maçaricos e o de 20kg (P20) é usado como combustível de empilhadeiras e é o único utilizado na horizontal. Já o de 45kg (P45) é mais encontrado em restaurantes.

O botijão de 13kg (P13), o mais comum na casa dos brasileiros, tem 85% do GLP em estado líquido e 15% em estado gasoso.

 

Você também tem uma boa dica sobre botijões de gás? Comente!

gazebo dobrável
como economizar na limpeza
aplicativos para economizar no supermercado
comer peixe
reduzir gasto com doméstica
economizar energia na geladeira