Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Descontos especiais exigem grande atenção dos consumidores

A- A+

Liquidações de última hora, queima de estoque, descontos especiais em virtude de datas comemorativas. Os consumidores são bombardeados por ofertas do comércio a todo momento. Só que o impulso pelo consumo pode arruinar a vida financeira de quem já está inadimplente. Quer sair do vermelho? Aprenda a não cair em ciladas na hora de comprar.

Descontos especiais podem seduzir inadimplentes

O ano de 2016 começou o anúncio de que 59 milhões de brasileiros estão inadimplentes. É essa a estimativa da Serasa Experian, que analisa o mercado de consumo nacional com pesquisas periódicas desde 2012.

Trata-se do maior índice desde que o levantamento começou a ser realizado, e é preciso chamar a atenção para os valores: ao todo, as dívidas não quitadas pelos inadimplentes somam R$ 225 bilhões. Já imaginou o impacto desse dinheiro para a economia do país?

Mulher aproveita descontos especiais

Impulso de compra prejudica ainda mais as finanças de quem já está no vermelho. Foto: Shutterstock

Para quem não consegue organizar as finanças, os descontos especiais promovidos pelo varejo – seja para liberar o estoque ou trocar a coleção, por exemplo – são uma ameaça.

É preciso controlar o impulso de comprar apenas porque o preço baixou, já que é essa a atitude que costuma levar ao problema da falta de dinheiro. Mas como evitar o consumo quando todos incentivam a continuar gastando?

Dívidas exigem mudança de hábitos

Quando o consumidor fica sem dinheiro para cumprir as obrigações que assumiu, seja uma parcela do consórcio ou uma prestação da nova geladeira, é preciso reorganizar a vida financeira por completo.

Isso porque a inadimplência é apenas um sintoma de algo muito maior: o descontrole entre as receitas e despesas. Para se livrar do problema, a única opção é analisar as finanças em detalhes e traçar uma estratégia para pagar as contas e voltar ao saldo positivo. Confira, a seguir, como fazer isso em três dicas:

Assuma o controle sobre as finanças

Você precisa saber exatamente quanto recebe por mês e quanto gasta. Mais do que isso, é preciso entender a origem e o destino do dinheiro. Para cumprir essa missão, a dica é anotar todas as despesas da família em uma planilha financeira ou recorrer a um aplicativo de organização de finanças pessoais.

Com esses dados, você pode dividir os gastos em categoria e descobrir qual é o gargalo do orçamento. Acredite: tudo começa por esse controle, e cabe a você a tarefa de colocá-lo em ação.

Você vai se interessar por:

Comece pelas dívidas com os maiores juros

Analise todas as contas que você deixou de pagar e tem por vencer e descubra as que possuem o maior peso no orçamento – não apenas pelo valor da prestação, mas pela porcentagem de juros aplicada em caso de vencimento.

São essas dívidas que devem receber sua atenção em primeiro lugar, porque negligenciá-las significará despesas ainda maiores no futuro – e uma consequente bola de neve.

Estabeleça prioridades

Com o orçamento comprometido pelas dívidas, você precisa definir prioridades. Aqui, a ideia é entender o que você realmente precisa e o que é um mero desejo. É hora de abrir mão de pequenos luxos, pelo menos até o saldo voltar ao azul.

 

Gostou das dicas para lidar bem com os descontos especiais no varejo? Compartilhe!

metas de curto médio e longo prazo
quando vale a pena comprar título de capitalização
como aprender com erros de finanças
como conseguir desconto na compra de livros
exemplos de produtos supérfluos
como pechinchar na internet