Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Depreciação do carro: como calcular o melhor momento para vender

A- A+

A compra de um veículo exige avaliar qual vai ser o modelo escolhido, suas características e os custos envolvidos na manutenção. No fim de contas, o valor gasto pode ser alto. Mas é na hora de revender o automóvel que percebemos a importância de considerar mais um fator: a depreciação do carro.

Como ocorre a depreciação do carro

A depreciação do automóvel é um processo natural do mercado de veículos, afirma o gerente de marketing do WebMotors, Rodrigo Constantinou. No primeiro ano de uso de um carro novo, por exemplo, a depreciação pode passar dos 20% e diminui de modo considerável o valor de revenda.

“Com o passar do tempo, no entanto, o índice de desvalorização diminui. A depreciação de um carro pode ser influenciada por vários fatores. O principal deles é a falta de cuidado com o veículo”, explica Constantinou. Por isso, é fundamental realizar todas as revisões periódicas, requisito para que a garantia seja mantida.

Mas a desvalorização também é maior quando o veículo não é conservado de forma adequada. A carroceria, o revestimento dos bancos e o acabamento das peças internas são os itens que mais costumam apresentar problemas que podem influenciar no valor de revenda.

Constantinou lembra ainda que carros com cheiro forte de cigarro ou mofo, por exemplo, também tendem a sofrer mais com os efeitos da desvalorização. Isso significa que manter o automóvel sempre limpo ajuda não apenas na sua conservação, mas também a aumentar o dinheiro que você vai ganhar mais tarde.

Mechanic working in his workshop

Manter o veículo com todas as revisões em dia ajuda a diminuir os efeitos da depreciação do carro. Foto: iStock, Getty Images

Depreciação do carro: investimento

Com alguns cuidados, o carro perde menos em seu valor de revenda. Mas, ainda assim, é preciso avaliar que o papel cumprido pelo carro mudou desde o início dos anos de 1990. Pelo menos quando consideramos as questões financeiras e de aplicação.

“Antigamente, os carros eram vistos como investimento, por conta da inflação galopante. Comprava-se um carro por um preço e, no dia seguinte, ele já estava valendo muito mais. Nos dias de hoje isso não acontece”, lembra Constantinou. Ou seja, vender o veículo sempre vai representar perda em relação ao valor aplicado inicialmente. Ao invés de um investimento que vai representar lucro, trata-se da compra de um bem de consumo.

 

Assistência é alternativa para vidraceiro e outros serviços

Ter um carro também exige que você esteja preparado para as eventualidades que podem acontecer. Caso você não tenha uma reserva financeira para emergências, uma boa alternativa é fazer seguro. Desta forma, urgências podem ser resolvidas de forma rápida e com garantia.

É o caso do Vivo Multiassistência, que oferece serviços de profissionais especializados e de confiança para consertos e reparos emergenciais ou serviços de manutenção em residência. Problemas hidráulicos e elétricos, vidraceiros e chaveiros estão entre os trabalhos oferecidos pela assistência residencial.

> Vivo Multiassistência: Garanta eletricista, vidraceiro e conserto de eletrodomésticos para casa

Gostou das dicas sobre depreciação do carro? Compartilhe!

não consigo pegar empréstimo
cooperativa habitacional
como economizar na limpeza
não consigo pagar financiamento de imóvel
crédito para financiar casa própria
o que é uma cooperativa de crédito