Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Custo para morar em Vitória é o que menos cresceu no país, aponta IBGE

A- A+

Em um ano de intensas variações no custo de vida, quem vive na capital do Espírito Santo pode respirar um pouco mais aliviado. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), morar em Vitória ficou 8,44% mais caro no acumulado dos últimos 12 meses.

O número pode parecer alto, mas ainda é o menor entre as 13 capitais pesquisadas pelo levantamento, que mede o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), uma espécie de prévia da inflação no país.

Morar em Vitória ficou 8,44% mais caro.

Vitória foi considerada pela ONU a segunda melhor cidade do litoral para se viver. Foto: Shutterstock

Custos ao morar em Vitória

Mesmo com o crescimento do IPCA-15 abaixo da média nacional de 9,93% nos últimos 12 meses, morar em Vitória não chega a ser barato, aponta o presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon), Eduardo Araújo.

Mas ele ressalta os pontos positivos que colocam a capital nesse patamar. Segundo pesquisa divulgada recentemente pela Organização das Nações Unidas (ONU), Vitória é a segunda melhor cidade do litoral brasileiro para se viver. “A renda per capita também é elevada em relação às demais capitais do país, o que certamente pressiona os custos de sobrevivência”, avalia.

Tomando como base as despesas com alimentação, por exemplo, a cidade fica em quinto lugar entre aquelas que possuem a cesta básica mais cara. De acordo com estudo divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em outubro, o valor ficou em R$ 357,30.

Entre os produtos, o açúcar e o arroz ficam na ponta de cima entre os que registraram maiores aumentos no mês, com 9,15% e 5,19%, respectivamente. No lado oposto, um dos alimentos que mais aumentou seu preço recentemente começa a ficar mais barato: a batata. Em Vitória, a queda foi de 26,47%.

Outras áreas que tiveram aumentos significativos, acima da inflação média, foram a energia elétrica e o combustível, as despesas pessoais (sobretudo a recreação) e também a educação.

“O custo de moradia também se elevou muito nos últimos anos. A boa notícia é que esse mercado vem registrando uma tendência de queda dos preços para os próximos anos. Isso pode gerar oportunidade para quem deseja adquirir um imóvel na capital”, destaca ainda Araújo.

Morar em vitória: caro ou barato?

Segundo o site Custo de Vida, uma iniciativa que analisa os custos em cidades brasileiras a partir do relato de usuários, a capital do Espírito Santo ocupa a 46ª posição entre aquelas de maior custo do país. Já na relação que considera apenas as capitais, Vitória ocupa espaço no meio da tabela, em 14º lugar.

Você vai se interessar por:

Impactos no turismo no custo

Se na maioria das capitais brasileiras, sobretudo as litorâneas, o turismo é fator decisivo para o custo de vida, em Vitória o cenário é um pouco diferente: a presença de visitantes que passam suas férias na cidade pouco influencia nos preços.

Conforme explica o presidente do Corecon-ES, na cidade prevalece o turismo de negócios, que tem colocado o Espírito Santo em lugar de destaque no cenário nacional, com um dos maiores índices de crescimento econômico do país.

Os principais setores que atraem os empresários são o moveleiro, cafeeiro, de celulose, rochas ornamentais, fruticultura e petroleiro.

 

O que acha do custo para morar em Vitória? Deixe seu comentário.

por que as coisas são tão caras no Brasil
valor da cesta básica no Brasil
índices de inflação no Brasil
valor da cesta básica em Palmas
valor da cesta básica em Fortaleza
valor da cesta básica em São Luís