Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Cuidados necessários para a antecipação da restituição do Imposto de Renda

A- A+

O período de entrega das declarações ao Fisco, que vai até 29 de abril, sempre abre a oferta de um conhecido produto bancário: a antecipação da restituição do Imposto de Renda. A promessa é que o contribuinte receba antes o valor que será devolvido pelo governo. Mas você sabe quais as vantagens e riscos da modalidade?

Homem avalia antecipação da restituição do imposto de renda

Opção oferecida pelos bancos é uma linha de crédito, com juros e outros encargos. Foto: iStock, Getty Images

Antecipação da restituição do Imposto de Renda

Fique atento: a antecipação da restituição do Imposto de Renda nada tem a ver com a declaração do contribuinte. Trata-se de um produto bancário. Em outras palavras, são linhas de crédito com todos os encargos.

A diferença é que o valor a ser restituído fica como garantia para a instituição. Assim, logo que ele cai na conta, seu empréstimo será descontado dessa soma.

A restituição de Imposto de Renda está prevista para ocorrer entre os meses de junho a dezembro, mas somente para os contribuintes que não caírem na chamada “malha fina”. Quando ocorre alguma inconsistência, o valor só é restituído quando a situação estiver regularizada.

Tenha cautela com o produto

Uma opinião comum entre educadores financeiros é que esse tipo de empréstimo só deve ser realizado quando houver urgência em ter o dinheiro. O ideal é comparar as taxas de juros, o Custo Efetivo Total (CET) e eventuais tarifas bancárias com outras linhas de crédito. Outros encargos, como o IOF, podem incidir nesse tipo de operação.

Um agravante da antecipação da restituição do Imposto de Renda é cair na malha fina. Como a situação pode demorar um tempo a ser regularizada, esse período de atraso na devolução ao banco significa mais juros para o consumidor.

A Fundação Procon-SP tem alertado que não se trata exatamente de um benefício. A entidade sugere aderir a esse tipo de operação somente em último caso. Afinal, pagar tarifas sobre o valor significa reduzir uma parte do dinheiro recebido. Se possível, a dica é esperar e receber a quantia integral.

O grande risco desse tipo de linha de crédito é, na realidade, trabalhar com a incerteza. Um erro cometido na declaração pode alterar o valor da restituição, assim como ela pode nem chegar.

A alternativa mais segura para quem tem urgência em receber é entregar a declaração logo no início do prazo, pois isso influencia diretamente a data em que o benefício será recebido.

Organize seu orçamento

A melhor maneira de cuidar do dinheiro ainda é por meio da organização. Para não se perder nas contas, o ideal é fazer uma planilha financeira (há diversas opções para download grátis, incluindo as disponibilizadas pelo Vivo Seu Dinheiro).

Nesse documento, você deve registrar os rendimentos mensais, assim como os gastos fixos e variáveis. Estes números são fundamentais para verificar também se você conseguirá arcar com novos parcelamentos.

Você vai se interessar por:

Monitore e proteja seu CPF

Documento essencial para estar com sua declaração de Imposto de Renda, o CPF merece todos os cuidados. Para monitorar e proteger seu principal documento, você pode contar com o Vivo Alerta CPF.

Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Vai apostar antecipação da restituição do Imposto de Renda? Comente!

Dicas para quem pensa em vender bens para pagar dívidas
seudinheiro-Compras-de-supermercado
sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado