Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Controle de custos permite economizar ao comer fora de casa

A- A+

Que comer em casa é mais barato do que em restaurantes, você já deve imaginar. Mas nem sempre essa é uma opção – e o bolso deve estar preparado para isso. Fazer um controle de custos das refeições, anotando as quantias gastas e tudo aquilo que envolve seu dinheiro, pode ajudar a encontrar o ponto de equilíbrio e permite economizar.

Por que implantar um controle de custos

A educadora financeira Luciana Santos afirma que os gastos com alimentação estão entre os que mais pesam no orçamento. Por isso, ter um controle de custos sobre essa despesa é importante e pode garantir uma economia maior do que em qualquer outra área. Dar atenção ao que você come e aos estabelecimentos que escolhe faz a diferença ao final.

Para ela, é tudo uma questão de equilíbrio entre o que é preciso e o que você deseja. “É necessário economizar e ao mesmo tempo comer bem e saudável. É possível escolher as refeições mais balanceadas com preços acessíveis, basta procurar”, indica Luciana.

Mulher analisa controle de custos

Anotar o que come e quanto gasta corrige erros nas refeições e ajuda a economizar. Foto: iStock, Getty Images

Criar uma tabela de controle de custos ajuda a ter uma visão focada e ao mesmo tempo ampla da sua situação econômica e alimentar. Se você toma nota de tudo o que come e de quanto gasta, pode perceber o que está comendo de errado e o que custa mais caro em cada refeição. Ao mesmo tempo, descobre o quanto a sua alimentação pesa no orçamento mensal.

No fim das contas, fica mais fácil eliminar os alimentos que não são saudáveis e aqueles que custam mais caro, garantindo refeições mais baratas e equilibradas.

Mas Luciana alerta que comer em casa ou levar quentinhas segue sendo a melhor opção. “Não pesa tanto no bolso e se pode comer de maneira mais saudável, evitando quantidades grandes de sal e gordura”, afirma.

Você vai se interessar por:

5 dicas para seu controle de custos

Se você faz parte do grupo que não tem como levar marmitas ou voltar em casa para fazer as refeições, Luciana Santos dá algumas dicas para o início do processo de economia. Tudo depende de estar disposto e fazer escolhas conscientes. Descubra como isso é possível em cinco passos:

Explore

Procure conhecer ao máximo a região próxima do seu trabalho. Saber quais são os restaurantes e lanchonetes que existem por perto, qual o tipo de comida que eles servem, o conceito que têm e também o quanto cobram, faz toda a diferença na hora de decidir onde comer.

Prefira

Ao invés de optar por buffets e self-service, nos quais você pode escolher tudo o que tem vontade, prefira os pratos feitos. Eles costumam conter uma quantidade suficiente para manter você bem alimentado, são equilibrados e custam mais barato.

Escolha

Os alimentos da estação são aqueles que estão em melhores condições e são mais abundantes, por isso, custam mais barato. Sempre que for comprar comida, seja em in natura ou cozida, prefira aquelas que levam as frutas e verduras que estão em alta.

Evite

Refrigerantes, chocolates, balas, salgadinhos e sobremesas, além de não serem nutritivos, só encarecem os custos das refeições. Se quiser beber algo, tome água. Para suprir os doces, opte pelas frutas. É uma forma de evitar comer o que não precisa e gastar o que não tem.

Compre

Organize e planeje os lanches que você vai comer naquele dia ou semana. Com isso, você consegue ir ao supermercado e comprá-los por um preço mais baixo do que encontraria na lanchonete ou na mercearia mais próxima. Barras de cereal são boas ideias de refeições nutritivas e baratas.

 

E você, como faz o controle de custos quando o assunto é alimentação? Comente!

vale a pena usar roupas de marca
feiras de trocas
sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado