Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Conta corrente ou poupança? Saiba como se decidir

A- A+

Se o gerente do banco pergunta: “Você prefere abir uma conta corrente ou poupança?”, o que você responde? Para saber qual das duas escolher, a dica é conhecer bem os dois tipos de conta e compará-los. Assim, você pode identificar em qual perfil se encaixa e poderá optar pela modalidade que melhor atender suas necessidades.

Mulher tirando as dúvidas sobre a conta corrente ou poupança.

Avalie que tipo de serviços você espera da conta bancária antes de se decidir. Foto: iStock, Getty Images

Conta corrente ou poupança: como funcionam?

O primeiro passo que pode ajudá-lo a escolher entre conta corrente ou poupança é ver como elas funcionam. Caso opte pela primeira opção, você contará com uma maior variedade de serviços, como cartões de débito e crédito, acessar internet banking, depósitos e transferências online.

Por outro lado, precisará pagar por eles. Uma taxa mensal é cobrada do correntista, conforme o número e o valor dos serviços que integram o seu pacote. Ou seja, quanto mais você utilizar, mais cara será a tarifa.

Já a poupança funciona de maneira bem diferente. Além de ser um tipo de conta, ela é também um investimento. Apesar de ter um rendimento baixo, o retorno na caderneta é garantido.

Nos últimos anos, o funcionamento da modalidade sofreu alterações e é importante conhecê-las. Segundo explica o consultor de investimentos e fundador do General Investidor, Bruno Papi, até 3 de maio de 2012, o rendimento fixo da poupança era de 0,5% ao mês e mais a soma da Taxa Referencial (TR).

Após essa data, o lucro passou depender também da Taxa Selic, havendo dois cenários possíveis: quando a Selic for maior que 8,5% (rendimento é de 0,5% + TR) e quando a Selic ficar abaixo de 8,5% (lucro é de 70% da Selic + TR).

O que avaliar nos tipos de conta

As duas modalidades possuem características bem distintas e cada uma é voltada para um público em especial. A conta corrente, por exemplo, conforme define o Banco Central, é o tipo mais comum. Nela, o dinheiro fica à sua disposição para ser sacado a qualquer momento.

Dessa forma, é uma modalidade recomendada especialmente para quem precisa sacar dinheiro e fazer compras, pois é uma forma segura e rápida de fazer e receber pagamentos.

A poupança, por outro lado, foi criada, segundo o Banco Central, para estimular as pessoas a juntar dinheiro. O recurso que ficar na conta por 30 dias passar a gerar rendimentos, com isenção de Imposto de Renda para quem declara.

Caso você precise reservar dinheiro para realizar um sonho ou quitar dívidas, por exemplo, essa pode ser a sua melhor escolha.

Que tal optar pelas duas?

Caso ainda assim não tenha se decidido entre conta corrente ou poupança, você pode propor para seu gerente uma conta integrada. Para isso, analise bem os serviços que cada uma oferece e, caso realmente precise das duas, poderá contar com as facilidades e as vantagens de ambas.

Você vai se interessar por:

Receba dicas financeiras

Para aprender a controlar as contas do lar, é preciso ouvir quem sabe. Se você quer usar o seu dinheiro de um jeito mais inteligente, conheça o Vivo Finanças Pessoais. Com ele, você recebe mensagens e participa de jogos que lhe ajudam a controlar seus gastos, poupar e investir. E você ainda participa de sorteios diários.

> Vivo Finanças Pessoais: Receba dicas por SMS e concorra a R$ 2.500 todos os dias

Qual sua escolha: conta corrente ou poupança? Deixe seu comentário.

quando vale a pena comprar título de capitalização
investir em imóvel na planta vale a pena
vale a pena investir na decoração de uma casa para alugar
vale a pena ter seguro de vida
dinheiro poupança pode ser penhorado
por que a poupança rende tão pouco