Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Consórcio de dinheiro: atenção para não ser enganado

A- A+

Consórcio de carro, casa, motocicletas e até mesmo eletrodomésticos. Todas essas modalidades, que são as mais comuns, devem fazer parte dos seus conhecimentos. Mas você já ouviu falar em consórcio de dinheiro? Será que existe e é confiável? Tire suas dúvidas!

Consórcio de dinheiro existe?

Em tese, consórcio de dinheiro não existe e a razão é simples: o Banco Central proíbe a entrega de recursos sem fins específicos nesse tipo de modalidade. Em outras palavras, quando um consorciado é contemplado, sua carta de crédito deve ser utilizada para o pagamento de um produto ou serviço – e não para receber valores em troca.

O que pode ocorrer, conforme as regras aplicadas a uma modalidade específica, é haver a opção de o consorciado receber a quantia diretamente  no banco, sem que a destinação seja objeto de prestação de contas, por exemplo.

Mas é bom ficar atento: desconfie caso alguém lhe ofereça um consórcio de dinheiro. É grande a possibilidade de se tratar de um golpe.

Homem faz consórcio de dinheiro

Para fazer seu dinheiro render, dica é investir e não buscar soluções mágicas. Foto: iStock, Getty Images

Entenda e não confunda

Há algumas situações em que é permitida a retirada de valores, mas isso não significa ser consórcio de dinheiro. Uma das hipóteses é quando o consorciado muda de ideia. Nesse caso, ele pode pedir o valor despendido, porém só pode recebê-lo três meses após ser contemplado. Para isso, é necessário que esteja com as parcelas devidamente quitadas.

Mas algumas instituições financeiras oferecem um produto chamado consórcio de dinheiro, embora isso nem sempre signifique que o contemplado irá pegar o valor total e fazer o que quiser, ou até mesmo investi-lo.

A principal característica dessa modalidade é que o participante pode mudar de ideia e usar o valor para aplicar em outro produto ou serviço. Dessa forma, quem escolhe o consórcio para adquirir um carro, por exemplo, pode pensar melhor no decorrer do processo e adquirir uma moto após ser contemplado.

Estude bem suas aplicações

Ainda que existisse um consórcio de dinheiro legalizado, será que essa seria uma boa ideia para você? Uma dica importante é nunca confundir esse tipo de modalidade com outros tipos de investimentos. O motivo é muito simples: não há rendimento nessa operação e, além disso, há cobrança de taxas de administração e adesão.

Portanto, se a sua intenção é ter rendimentos financeiros, busque informações para saber quais deles oferecem a melhor remuneração. Outra dica é que a falta de controle para poupar também não é justificativa para optar por um suposto consórcio de dinheiro. Sempre será mais vantajoso aplicar onde rende mais.

Ainda que entre em um consórcio convencional, só faça isso tendo segurança financeira, ou seja, sabendo que poderá pagar as parcelas. Os especialistas indicam que não se comprometa mais que 25% da renda com esse tipo de operação.

Você vai se interessar por:

Consórcios em alta

No primeiro quadrimestre do ano passado, o crescimento no número de participantes no sistema de consórcios foi de 9%, totalizando 6,4 milhões de consorciados. Essa alta foi puxada basicamente pelos setores imobiliário e automotivo.

Enquanto o setor imobiliário foi responsável por 65,5 mil novas cotas – representando um crescimento de 20% – o de automóveis trouxe 318 mil novas adesões em função dos veículos leves, chegando a 7,4% de crescimento.

 

Gosta de dicas financeiras? Cadastre-se e receba nossa newsletter!

como lucrar vendendo cosméticos
vale a pena usar roupas de marca
quando vale a pena comprar título de capitalização
esteira ou bicicleta ergométrica
dicas para comprar uma boa esteira
investir em imóvel na planta vale a pena