Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Conheça seus direitos em casos de falha no débito automático

A- A+

Quem opta pela comodidade e cadastra um pagamento para ser descontado em conta corrente, seja a fatura do cartão de crédito ou a conta de telefone, costuma esquecer da obrigação – afinal, a quitação está garantida, não é mesmo? O problema surge quando você acessa a conta e percebe que houve uma falha no débito automático: o pagamento não foi realizado e terá que arcar com juros pelo atraso.

Se você já passou por essa situação, sabe o quão desgastante pode ser o transtorno. Além de procurar os responsáveis, terá de reverter a incidência de juros. Conhecer seus direitos é o primeiro passo para minimizar prejuízos ao bolso.

Idenficando falha no débito automático

Dica é monitorar os lançamentos futuros na sua conta pelo internet banking. Foto: iStock, Getty Images

Os riscos do débito automático

Ao cadastrar uma conta em débito automático, você passa para o sistema a responsabilidade pelo pagamento. E isso pode ser problemático, porque todos os processos eletrônicos – assim como os humanos – estão sujeitos a erros.

Quando o consumidor não se dá conta de que o pagamento não foi efetuado, justamente por confiar no débito automático, corre o risco de ter o serviço cortado ou interrompido (linhas telefônicas, fornecimento de água ou energia elétrica, por exemplo).

Além disso, o atraso no pagamento implica juros, de forma que você acaba arrumando um grande problema exatamente por tentar se livrar do inconveniente de precisar lembrar da data de vencimento e de efetuar a operação.

Como evitar a falha no débito automático

Para evitar essa situação, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) recomenda que os clientes permaneçam atentos aos registros de lançamentos futuros na conta corrente, além de monitorar com frequência os extratos.

Dessa maneira, você consegue antecipar-se aos erros ou, pelo menos, reduzir suas consequências. Mesmo com o cadastro em débito automático, quem deseja se ver livre de problemas precisa monitorar o pagamento. Não há como ignorar as contas com 100% de garantia que elas serão quitadas.

A quem recorrer em caso de falha

A falha no débito automático pode ser responsabilidade tanto do banco do qual você é cliente como da empresa beneficiária do pagamento. Quando o banco falha, o valor não é debitado, mesmo que haja dinheiro na conta e ordem de pagamento. Já quando a empresa falha, a ordem não é emitida para o banco.

Para contornar essa situação, você precisa entrar em contato com as duas partes envolvidas no erro, a fim de descobrir de quem é a culpa. Trata-se de um processo que pode se tornar cansativo, dependendo da qualidade do atendimento dos responsáveis.

Segundo o Idec, o mais indicado é reclamar por escrito, por meio físico ou eletrônico, para que haja um comprovante da reclamação juntamente com o protocolo de atendimento.

Se, mesmo assim, não for possível resolver o conflito, a orientação é procurar o Procon da sua cidade, tendo em mãos os comprovantes e protocolos relacionados à solicitação.

Você vai se interessar por:

Tarifa bancária pode virar bônus

Já pensou em transformar as tarifas bancárias em benefícios? Os valores mensais que você paga ao banco ou às operadoras de cartão de crédito podem ser convertidos em bônus de ligações. Com o Conta Bônus, em até 10 dias úteis após o débito da tarifa, o valor é revertido integralmente para você.

> Conta Bônus: Transforme tarifas bancárias e anuidade do cartão em bônus para o celular

Você já teve problemas com falha no débito automático? Deixe seu comentário!

quando vale a pena comprar título de capitalização
como lucrar vendendo cachorro quente
como lucrar vendendo bolo no pote
como abrir uma franquia de alimentos
como abrir uma empresa de coleta de entulho
como se relacionar com as pessoas no ambiente de trabalho