Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Conheça os sete pecados financeiros que mais afetam o seu bolso

A- A+

Não é de hoje que surgem relatos de pessoas em condições menos favoráveis que conseguem poupar e realizar sonhos. Isso provavelmente ocorra porque elas se mantêm distantes dos sete pecados financeiros mais cometidos na atualidade.

E são muitos os pecadores. Não é à toa que o número de endividados no Brasil subiu 16% apenas no primeiro trimestre deste ano, conforme levantamento do Serasa Experian. Nesse período, a lista já contava com 755 milhões de pessoas.

O castigo por esse pecado aparece na sua conta financeira.

Se a ideia é implantar controle financeiro, é importante começar logo e não adiar. Foto: iStock, Getty Images

Muito mais que sete pecados

Quando o salário de uma pessoa, ainda que considerado bom, nunca é suficiente para suprir as suas necessidades, a lista provavelmente vai bem além dos sete pecados. Talvez chegue ao dobro – ou ao triplo – de falhas cometidas.

Considerando pessoas totalmente descuidadas em relação à vida financeira e que ganham um salário razoável, alguns dos erros mais frequentes incluem não poupar para a aposentadoria, não controlar o orçamento, não ter um plano B para quitar as dívidas, fazer mau uso do cartão de crédito e não ter um fundo de emergência.

Mas há casos de salário satisfatório e uma vida financeira igualmente descontrolada. Um estudo da universidade de Cambridge, no Reino Unido, apontou que a frustração por não saber onde está o “ralo” é maior entre as pessoas com melhor remuneração.

Você vai se interessar por:

Teste: Você pratica o controle de finanças em casa?

Veja como controlar as finanças se você tem filhos adolescentes

Especialista recomenda 5 bons livros sobre finanças pessoais

Os sete pecados das finanças modernas

Com base em diversos estudos, o projeto independente Criando Riqueza, idealizado pelo milionário norte-americano Mark Ford, elencou os sete pecados mais comuns quando o assunto é dinheiro. Confira quais são:

1. Procrastinação financeira

A velha história de ”‘deixar para amanhã”, frequentemente usada quando se fala em academia ou dieta, também é aplicada à vida financeira. Esse talvez seja o mais grave dos sete pecados. Quem não tem iniciativa hoje, também não terá amanhã.

2. Timidez comercial

Você, alguma vez, já teve vergonha de pedir um desconto? O castigo por esse pecado aparece na sua conta financeira. Não tenha vergonha de usar um cupom de desconto ou de negociar com o atendente para pagar menos.

3. Otimismo excessivo

Acreditar que tudo vai melhorar no próximo mês ou que parcelar uma compra em 12 vezes é uma solução mágica para sua falta de dinheiro são erros comuns. O problema é que esse comportamento impede você de fazer uma reserva para o futuro, como um plano de aposentadoria, por exemplo.

4. Sabotagem ideológica

Absorver ideologias como, por exemplo, que dinheiro não traz felicidade ou que melhorar de vida é um pecado pesa na hora de cuidar do dinheiro.

5. Consumismo desenfreado

Esse dispensa maiores explicações. Comprar por impulso virou um problema tão sério que vem sendo estudado por pesquisadores da área da saúde, que batizaram a prática como oniomania.

6. Cegueira seletiva

Não buscar informações financeiras pode trazer sérios prejuízos, como manter o dinheiro na poupança mesmo quando a inflação está abocanhando boa parte de suas economias.

7. Inabilidade injustificada

A famosa desculpa que você é um leigo em investimentos não lhe poupará dos prejuízos que esse “desconhecimento” pode acarretar no futuro. Dedicar pouco tempo semanal ao seu dinheiro pode significar um forte ganho de patrimônio. Que tal tentar?

 

E você, pratica algum dos sete pecados? Compartilhe!

como aprender com erros de finanças
como lidar com a ganância
melhor lugar para trabalhar
pegar empréstimo e não pagar
Já sabe o que fazer quando terminar a faculdade
Pedindo dinheiro emprestado para amigos