Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Conheça o Criatec 3, fundo de investimentos para empresas inovadoras

A- A+

Um momento de crise nunca é positivo para o ecossistema empreendedor, mas bons projetos de inovação tecnológica costumam encontrar uma brecha para vingar até nos maus momentos. Se esse é o caso da sua empresa, o Criatec 3 pode ser a oportunidade de ouro para fazer o negócio crescer de maneira acelerada.

Trata-se de um fundo de investimentos que oferece aportes de capital e suporte em gestão a empresas em estágios iniciais. Ou seja, além de um sócio investidor, o empreendedor terá uma ajuda na estratégia, governança e tomada de decisões. O objetivo é estruturar uma oferta de valor forte, a base do crescimento acelerado.

O Criatec 3 é uma criação do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e a Inseed Investimentos, selecionada por edital, é a empresa gestora do fundo.

Criatec aposta em ideias inovadoras

Projetos inovadores têm mercado mesmo em cenário de crise macroeconômica. Foto: iStock, Getty Images

Quais empresas o Criatec 3 procura?

O alvo do Criatec 3 são empresas desenvolvidas no Brasil, em fase inicial, como prova de conceito, decolagem ou expansão, e um faturamento líquido no ano anterior ao investimento de não mais que R$ 12 milhões.

As companhias devem ser escaláveis, voltadas a tecnologias inovadoras, com alto potencial de crescimento e que dificultem a reprodução do modelo de negócio por terceiros.

A preferência é por negócios que se proponham a resolver um problema de mercado muito relevante. Algumas áreas desejadas pelo fundo são Tecnologias da Informação e da Comunicação, Biotecnologia, Agronegócio, Novos Materiais e Nanotecnologia.

Como funciona o Criatec 3

Se você possui uma empresa em fase inicial em alguma das áreas acima citadas, vale a pena visitar a página do Criatec 3 e submeter o seu negócio à avaliação do fundo. Os valores aportados variam de R$ 1,5 a R$ 10 milhões. No total, são R$ 200 milhões de capital comprometido ao investimento nas empresas.

O Criatec 3 tem previsão de 10 anos de duração, de 2015 até 2025. Os investimentos serão feitos até 2018, portanto, esse é o prazo para as empresas interessadas se candidatarem. Nos seis anos seguintes, o fundo se dedicará ao desenvolvimento dos negócios apadrinhados.

Com o auxílio do Criatec 3, além de todo o suporte na gestão, planejamento, identificação de talentos, contato com fornecedores e captação de recursos, as empresas poderão acelerar o processo de internacionalização, usufruindo de uma rede de parceiros nos Estados Unidos e Europa.

Você vai se interessar por:

Empresas à prova de crise

Há quem pense que cenários de crise são péssimos para investir em novas empresas, mas há também investidores que enxergam aí oportunidades.

No mundo inteiro, cada vez mais pessoas têm questionado os modelos de consumo atuais e saudado tecnologias que colaboram para uma utilização mais eficaz dos recursos. Empresas cuja proposta vai ao encontro dessa linha de raciocínio, portanto, têm mercado em qualquer conjuntura macroeconômica.

E as possibilidades vão muito além do modelo de economia compartilhada de startups que desenvolvem aplicativos para smartphone. Basta ter uma ideia bem desenvolvida e saber exatamente o que seria feito com o dinheiro investido.

 

Ficou interessado? Então, desenvolva a sua ideia e candidate-se no Criatec 3. Se gostou do artigo, compartilhe o conteúdo com seus seguidores nas redes sociais.

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria
como montar uma drograria