Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Conheça as principais pragas virtuais e veja como se proteger

A- A+

Também chamadas de malwares, as pragas virtuais causam dor de cabeça, provocando todo o tipo de prejuízo, inclusive financeiro, com a captação de senhas e roubo de dados bancários. Vírus, trojans, spywares e worms são apenas alguns desses programas que ameaçam sua segurança de diferentes formas.

E se você acha que esse é um problema que não lhe afeta, é bom ficar atento.O relatório Ameaças à Segurança da Internet, da Symantec, identificou o Brasil como o principal alvo de cibercriminosos na América Latina e o décimo no mundo, correspondendo a 2,32% de todas as detecções de ameaças virtuais no planeta.

A boa notícia é que, mesmo com tantos tipos de malwares, com alguns cuidados preventivos, é possível ampliar a proteção de suas informações bancárias.

Criminoso pratica pragas virtuais

Cibercriminosos qualificam práticas maliciosas com foco no roubo de dados. Foto: iStock, Getty Images

Entenda o que são pragas virtuais

As pragas virtuais podem ser definidas como ameaças especialmente desenvolvidas para executar ações maliciosas e danosas em dispositivos, como computadores e smartphones. São divididas em diferentes classificações, com métodos de ataques diferentes. Conheça as principais:

Vírus

Costumam destruir arquivos e prejudicar o desempenho do sistema operacional. Em geral, são disseminados por mensagens de e-mails, redes sociais e até mesmo por dispositivos removíveis, como pendrives. O vírus se instala no sistema e começa a se autocopiar para os demais arquivos e programas do ambiente.

Trojans

Eles enganam as vítimas, levando-as a instalar o malware sem perceber. Os mais comuns no Brasil são os trojans bancários, capazes de roubar senhas, credenciais de contas e números de cartões de crédito durante o acesso ao internet banking.

Worms

Os worms (vermes, em português) possuem a capacidade de se propagarem automaticamente, diferentemente dos vírus, enviando cópias completas de si mesmos para outros computadores.

Rootkits

São um conjunto de programas e técnicas que se instalam no sistema, escondendo a presença de um invasor ou de outro código malicioso e dificultando a sua remoção. Os backdoors permitem que o criminoso acesse o dispositivo comprometido remotamente.

Adware e spyware

Eles espiam a navegação da vítima, ou seja, monitoram as atividades e investigavam os hábitos dos usuários. Inicialmente, essas pragas virtuais tinham o objetivo de direcionar a publicidade, exibindo propaganda excessiva. Agora, também são usados para o roubo de dados confidenciais.

Ransomware

Esse é um tipo agressivo de ameaça virtual e que tem gerado grande preocupação em escala mundial. O ataque é marcado pelo sequestro de arquivos e cobrança de extorsão para a devolução.

Você vai se interessar por:

Como se proteger das pragas virtuais

O meio mais eficaz de se proteger contra as pragas virtuais é através da instalação de um antivírus. Outra forma de manter os malwares longe do computador é sempre atualizar o sistema operacional da máquina, assim como o navegador e seus plugins.

Além disso, os usuários também devem adotar uma postura cuidadosa em relação às mensagens de e-mail e à navegação em sites duvidosos. Os e-mails que contêm pragas virtuais geralmente possuem anexos infectados ou links que direcionam para sites com possíveis armadilhas.

 

E você, que medidas adota para se proteger das pragas virtuais? Comente!

O controle financeiro pessoal e o futebol
Ela aposta na longevidade saudável
Conversando sobre direitos do consumidor do plano de saúde
Pacientes com mais de 60 anos têm direito a acompanhante em caso de internação. Foto: iStock, Getty Images
Passo a passo para planejar financeiramente a gravidez
Opção para investir em commodities