Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Confira dicas para escolher banco para investir

A- A+

Embora muitos acreditem que todas as instituições financeiras sejam iguais, escolher banco não é tarefa tão simples e demanda pesquisa. As diferenças podem ser sutis, mas elas contam muito para o seu futuro financeiro.

Escolher banco público ou privado

Em linhas gerais, os bancos são realmente muito parecidos entre si. Pelo menos até o momento que precisamos utilizar seus serviços e verificar as taxas envolvidas em cada um dos processos. Por isso é tão importante pesquisar, e muito, antes de decidir abrir uma conta, pedir um empréstimo ou iniciar aplicações.

Busque saber quais são as modalidades oferecidas, quais serviços são cobrados e que facilidades você adquire ao se tornar cliente. Para Pier Mattei, sócio da Monte Bravo Investimentos, é preciso ter em mente que o banco é uma empresa e, como tal, tem seus interesses.

Então a melhor escolha sempre vai ser aquela que se encaixar melhor no seu perfil. Ao procurar um banco, também é fundamental saber que há opções publicas e privadas, o que pode significar vantagens ou desvantagens, dependendo dos seus interesses.

“Um banco privado, por exemplo, pode conseguir mais crédito. Em contrapartida, um banco público pode oferecer taxas subsidiadas e, portanto, menores. Independentemente disso, todos os bancos são obrigados a oferecer os serviços básicos gratuitamente, como extrato e saque”, explica Mattei.

Escolher o banco com as melhores opções para o seu perfil ajuda você a economizar dinheiro. Foto: iStock, Getty Images

Escolher o banco com as melhores opções para o seu perfil ajuda você a economizar dinheiro. Foto: iStock, Getty Images

Escolher banco pelos serviços

Antes de optar por uma instituição, você também pode se informar sobre os produtos financeiros que ela oferece. Mas, ao fechar o contrato, lembre de não aceitar opções extras apenas porque elas estão sendo ofertadas. É preciso ter certeza de que você vai utilizá-las – e que isso vai trazer vantagens.

Os programas de fidelidade, por exemplo, costumam ser oferecidos junto ao cartão de crédito e possuem o pagamento de taxas, já que podem render produtos e serviços ao cliente. Mas de nada adianta pagar por isso se você não utiliza o cartão com frequência e prefere quitar as contas com dinheiro vivo.

Por fim, ainda que seja difícil prever o que pode levar um banco à falência, opte por instituições fortes. Afinal, sempre existe o risco, mesmo que pequeno, de que o banco tenha problemas financeiros, feche as portas e você acabe tendo dores de cabeça desnecessárias, destaca o fundador do site Minhas Economias, Décio Kimura. Felizmente, já existem mecanismos que asseguram um valor garantido aos correntistas quando isso acontece, mas há um limite de R$ 250 mil por cliente, em cada banco que ele possuir dinheiro disponível.

Tarifas em bônus

Uma forma de economizar em tarifas bancárias é convertendo essas taxas,  em bônus para celular. O programa Conta Bônus, da Vivo, converte integralmente o valor da tarifa em bônus no seu Vivo Móvel Pré, Pós ou Controle. Os benefícios, disponibilizados em até 7 dias úteis após o débito da tarifa, ficam disponíveis por 30 dias a partir da data de concessão.

> Conta Bônus: Transforme tarifas bancárias e anuidade do cartão em bônus para o celular

Gostou das dicas para ajudar a escolher banco? Compartilhe!

metas de curto médio e longo prazo
Mulher entende o que é carnê-leão
Comprar smart tv
Empréstimo ou financiamento
seudinheiro-Compras-de-supermercado
investir em imóvel na planta vale a pena