Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda quando comprar em prestações pode ser o melhor negócio

A- A+

A compra em prestações pode ajudar você a realizar aquele antigo sonho de compra, mas também pode significar um problema para as finanças. O resultado vai depender do modo como você administra seu orçamento e de ter cuidado na hora de aceitar o parcelamento.

Prestações podem esconder juros

Quando você opta pelo pagamento à vista, fica mais fácil negociar o valor do produto ou serviço, além de ser diminuir a chance de gastar o que a sua conta permite.  Mas essa nem sempre é uma opção e é aí que o parcelamento surge como a principal forma de realizar a compra.

“Para não ter problemas, a minha indicação é controlar as parcelas que estão para vencer, colocando todas na planilha financeira. Outro ponto muito importante é só voltar a comprar em prestações quando o parcelamento anterior acabar”, explica o educador financeiro Pedro Braggio, especialista em consultoria familiar.

Ou seja, a principal dica é evitar o acúmulo de parcelas e, como consequência, ter mais controle sobre os gastos. A compra em prestações também pode ser uma alternativa viável quando o pagamento à vista não render descontos ou eles forem baixos. Em alguns casos, a ofertas que prometem ao consumidor dividir o valor total em algumas vezes, sem que o ocorra a incidência de juros.

Nesse caso, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) indica cuidado, principalmente na compra de carros de prometem juro zero. Para saber se o custo dos juros foi diluído em outras taxas, a melhor saída é pedir para verificar o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento do automóvel.

Para definir se o parcelamento vale a pena, é importante fazer as contas com a taxa de juros. Foto: iStock, Getty Images

Para definir se o parcelamento vale a pena, é importante fazer as contas com a taxa de juros. Foto: iStock, Getty Images

Cuidado com o número de prestações

Seja para compras ou pedidos de crédito junto ao banco, o parcelamento exige que você leve em conta o seu orçamento e como ele pode ser afetado, nos meses seguintes, pelas prestações. Por isso, o período de pagamento deve estar alinhado com o seu planejamento orçamentário, lembra o educador financeiro Antonio Nascimento.

“Não adianta em nada fazer um empréstimo, independente do prazo, se a pessoa não conseguir honrar o compromisso nos meses subsequentes. O que sempre indicamos é que o prazo deve ser o menor possível e dentro da sua estratégia financeira”, complementa.

O Código de Defesa do Consumidor prevê também o direito de liquidar antecipadamente o débito, total ou parcialmente. Nestes casos, o consumidor pode exigir a redução proporcional dos juros e demais acréscimos decorrentes do financiamento.

Cartões de crédito com benefícios

Quando usado da forma certa, o cartão pode ser um aliado, que permite mais praticidade e segurança para movimentar o seu dinheiro. Os Cartões de Crédito Vivo, por exemplo, permitem diversas vantagens, como alerta SMS, bônus na recarga de celular, pontos no Vivo Valoriza, descontos nos ingressos de cinema e parcelamento em até 12 x sem juros nas Lojas Vivo.
> Cartões de Crédito Vivo: Conheça as vantagens

Gostou das dicas sobre prestações? Compartilhe!

metas de curto médio e longo prazo
Mulher entende o que é carnê-leão
Comprar smart tv
seudinheiro-Compras-de-supermercado
melhores universidades do brasil
quando vale a pena ter cartão de credito