Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Comprar carro é ou não é investimento? Descubra!

A- A+

Você está em dúvida entre comprar carro novo e fazer outro tipo de investimento com o seu dinheiro? A necessidade de tomar essa decisão é comum entre os brasileiros, mas a resposta nem sempre é simples, e depende de cada caso. Afinal, qual é a melhor escolha do ponto de vista financeiro? Confira algumas dicas que podem ajudar.

Prefira ver a compra de um carro como um gasto. Foto: iStock, Getty Images

Prefira ver a compra de um carro como um gasto. Foto: iStock, Getty Images

O investimento de comprar carro

No Brasil, a compra de um carro costuma ser relacionada à ideia de aumento do patrimônio, da mesma forma como o investimento em imóveis. Além de usufruir de todas as vantagens em termos de comodidade, você estaria adquirindo um bem que pode render dinheiro em uma futura venda.

No entanto, enquanto isso é verdade para um apartamento, que pode valorizar ou render com o aluguel para terceiros, comprar carro não necessariamente é a melhor caminho para ver o seu patrimônio crescer. O economista Bernardo Baggio, que atua no ramo de consultoria de investimentos, afirma que o carro precisa ser visto de acordo com os custos anuais.

Comprar carro: valores na ponta do lápis

Antes de pensar em comprar carro, Baggio propõe uma conta para você saber o quanto vai gastar sem ao menos tirá-lo da garagem, e também quanto poderia economizar. Vamos supor que o seu automóvel custou R$ 30 mil.

Em média, um carro terá o seu valor depreciado em 10% ao ano, especialmente nos primeiros 12 a 24 meses, se for um carro zero. Quando se trata do seguro e do IPVA, um modelo com esse valor acarretaria um custo de, aproximadamente, R$3,5 mil por ano.

De acordo com o economista, se você deixasse esses mesmos R$ 30 mil aplicados em um investimento de baixo custo, poderia ter um retorno de 10% ano, ou seja, R$ 3 mil reais. Portanto, sem sequer sair da garagem, a diferença entre comprar carro e investir o dinheiro estaria na casa dos R$ 9,5 mil reais. Isso sem levar em conta custos adicionais com o veículo, como o emplacamento.

Gastos aumentam ao usar o carro

Depois de sair da garagem, há gastos com combustível, estacionamento e manutenção. Em fevereiro de 2015, o preço médio da gasolina na cidade de São Paulo era de R$ 3,20. Se você encher o tanque de um carro com 50 litros todos os meses, irá gastar cerca de R$ 160 mensais e R$ 1.920 ao ano.

Será que você gastaria esse valor se trocasse o veículo por outros meios de transporte, como o táxi, ônibus ou mesmo bicicleta? Do ponto de vista econômico, o automóvel só é vantajoso se a resposta for sim.

Baggio é taxativo em dizer que comprar carro para uso particular não costuma ser um bom investimento do ponto de vista financeiro, embora reconheça que esse não seja o principal ponto a ser considerado. “Não é uma decisão estritamente financeira. É mais questão de comodidade e status”, afirma. Ou seja, a escolha também deve estar relacionada às necessidades de conforto que você e a sua família possuem.

Ele acredita que essa conta não se aplica para o caso da compra de carro relacionada ao trabalho. Nesses casos, é preciso considerar o quanto está perdendo ou deixando de ganhar por não ter um veículo para a sua atividade ou empresa.

Assistência é alternativa para mecânico e outros serviços

Comprou um carro e ele te deixou na mão? Com o Vivo Multiassistência, você conta com serviços de profissionais especializados e de confiança para consertos e reparos emergenciais ou serviços de manutenção. É uma alternativa para quem quer socorro mecânico e reboque para seu carro, além de eletricista, vidraceiro, conserto de eletrodomésticos e chaveiro sempre que precisar.

> Vivo Multiassistência: Garanta eletricista, vidraceiro e conserto de eletrodomésticos para casa
É importante entender de finanças bem antes de sair de casa.
investir em imóvel na planta vale a pena
vale a pena investir na decoração de uma casa para alugar
vale a pena ter seguro de vida
dinheiro poupança pode ser penhorado
como lidar com a avareza