Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Como montar um programa de controle financeiro pessoal

A- A+

Em um primeiro momento, a expressão programa de controle financeiro pessoal pode soar um tanto pesada. Pode parecer algo distante, talvez relacionado ao trabalho de uma empresa. Mas, na realidade, essa estratégia corresponde ao mínimo que um cidadão precisa fazer para gerir bem seu dinheiro.

Tal planejamento nada mais é do que o conhecido orçamento doméstico, mas implantado de uma forma sistêmica, de modo que permita uma administração eficiente dos recursos.

Mais do que anotar os ganhos e gastos, um bom sistema lhe permite planejar outros passos, como uma viagem ou um curso, por exemplo.

Mulher faz programa de controle financeiro pessoal

Traçar metas é etapa fundamental de um bom planejamento orçamentário. Foto: iStock, Getty Images

7 etapas do programa de controle financeiro pessoal

Vamos colocar o programa de controle financeiro pessoal em prática? Confira as sete etapas que não podem faltar nesse projeto:

1. Planejamento

É a base de tudo. É importante definir suas metas em curto, médio e longo prazo. Para inseri-las no planejamento, a dica é calcular o valor necessário para atingi-las e verificar o quanto precisará poupar por mês. Assim, fica mais fácil realizar seus sonhos.

2. Planilha

O segundo passo é construir uma planilha detalhada de gastos. É importante colocar os custos fixos – como as contas da casa, por exemplo – e também os variáveis, como as despesas miúdas. Isso vai desde o cafezinho até o lanche que você compra na padaria. É importante ter uma visão muito ampla sobre o uso do dinheiro.

3. Soma

Se você tem salário fixo, em um mês pode ter uma visão bastante abrangente de seus gastos – desde que esteja tudo detalhado. É importante somar e ver o que se gasta em despesa fixa, o que é variável, quanto você ganha e quanto sobra. Essa é etapa importante da gestão de suas finanças.

4. Análise

Se o seu salário parece não ser suficiente para tudo, é hora de partir para a análise da planilha. Ali, está a maioria das respostas que você procura para sua vida financeira. Verifique, em primeiro lugar, se não está mantendo um padrão de vida acima do que seus rendimentos permitem.

5. Readequação

Notou que a sua planilha está cheia de itens supérfluos? É hora de ver o que se pode cortar, seja para poder quitar dívidas ou para passar longe delas. Aqueles itens que você compra, mas não utiliza plenamente ou que não são urgentes, podem perfeitamente ser eliminados.

6. Prioridades

É preciso definir o que é mais importante para você, de modo que possa se planejar. Mas lembre-se que prioridade não é urgência. É algo que você quer muito, mas não necessariamente para hoje. Então, é preciso montar sua estratégia financeira para chegar onde quer. Se a sua prioridade for uma casa, veja quanto precisa poupar mensalmente para dar uma entrada, por exemplo.

7. Reserva

Separar uma quantia todos os meses para formar uma reserva é importante. Essa é a garantia de que um imprevisto – como em carro ou encanamento quebrado – não irá levá-lo às dívidas. Esse dinheiro deve estar separado das outras prioridades, como a poupança para a viagem dos sonhos, por exemplo.

Você vai se interessar por:

Organize suas finanças

Para aprender a controlar as contas do lar, é preciso ouvir quem sabe. Se você quer usar o seu dinheiro de um jeito mais inteligente, conheça o Vivo Finanças Pessoais. Com ele, você recebe mensagens e participa de jogos que lhe ajudam a controlar seus gastos, poupar e investir. E você ainda participa de sorteios diários.

> Vivo Finanças Pessoais: Receba dicas por SMS e concorra a R$ 2.500 todos os dias

O que achou das dicas para montar um programa de controle financeiro pessoal? Comente!

Dicas para quem pensa em vender bens para pagar dívidas
seudinheiro-Compras-de-supermercado
sair da casa dos pais
vale a pena economizar
como aprender com erros de finanças
sonho de consumo