Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Como explicar o momento econômico brasileiro para jovens e crianças

A- A+

O país está em crise. Denúncias de corrupção, troca de governo, rebaixamento no grau de investimento, desemprego, inflação e inadimplência em alta são algumas das causas e consequências de um turbulento momento econômico brasileiro.

Para os mais velhos, pode haver lembranças de outros tempos difíceis, tornando possível traçar um paralelo entre o passado e o presente e melhor compreender o cenário. Mas e os mais jovens? Como explicar às crianças o que se passa no Brasil e como isso se relaciona com possíveis restrições no orçamento da família?

Lição sobre o momento econômico brasileiro

Porquinhos de economia podem ser usados de forma lúdica já aos 3 anos de idade. Fotos: iStock, Getty Images

A realidade do momento econômico brasileiro

Segundo a educadora financeira Cíntia Senna, da DSOP, a situação econômica atual do Brasil passa por mudanças, entendimentos e ajustes. Assim, o resgate do padrão ao qual o país estava acostumado ainda deve levar um tempo. As transformações de que a nação necessita não podem e nem devem acontecer da noite para o dia.

Para melhor entendimento, a especialista compara o país com uma casa. “O nosso país é um ambiente que está com mais contas a pagar do que receber, devido a diversos fatores. Fazer essa faxina financeira é necessária e primordial para resgatarmos todo o potencial que temos”, diz Cíntia, afirmando que o momento econômico brasileiro pode ser também uma oportunidade para as famílias.

Para ela, a situação ruim ajuda a tirar as pessoas do piloto automático. A condição da economia nacional obriga as famílias a uma reprogramação, um novo pensamento a respeito dos próprios hábitos e padrões, valorizando outros elementos além dos materiais e retomando os verdadeiros propósitos da vida, que estão bem longe das contas.

Cíntia acredita que a crise abala, de forma mais intensa, aqueles que não têm uma base de educação financeira. A falta de planejamento ou reservas estratégicas e o desconhecimento sobre as ferramentas de crédito e hábitos de consumo saudáveis complica uma situação que já é difícil e força a necessidade de pensar antes de agir.

Como falar de economia para crianças

O momento econômico brasileiro também pode ser visto como uma oportunidade de conscientizar as crianças e os jovens para a importância do cuidado com os próprios recursos, prevenindo que eles passem por situações difíceis no futuro. Caso as condições se repitam um dia, eles já estarão preparados para lidar melhor com o cenário adverso.

Cintia destaca que é muito mais fácil educar uma pessoa do que reeducá-la. Por isso, preparar a sociedade para lidar com dinheiro ainda na infância pode construir uma nação mais consciente.

Da mesma forma, implantar a educação financeiras nas escolas, nesse momento econômico, pode ser uma forma mais eficiente de ensinar, dando exemplos reais e atuais aos pequenos.

Considerando que as crianças são potenciais influenciadoras nos hábitos de consumo da família, chamar os filhos para uma conversa pode ser um primeiro passo para fazê-los entender a questão. Falar das despesas fixas, dos sonhos da família e sobre como é preciso agir para alcançá-los pode ser a deixa para instituir ações como mesadas fixas, que auxiliam no ensino do controle.

Segundo Cíntia, o momento ideal para introduzir essas lições é quando a criança passa a lidar com dinheiro. Assim que ela começa a pedir quantias para comprar guloseimas e brinquedos, por exemplo, os pais devem iniciar as conversas, estabelecendo limites e ensinando os filhos a usar bem o recurso.

Algumas crianças a partir dos 3 anos já tem esse contato, outras apenas aos 7 anos ou mais. Tudo depende de pessoa para pessoa. A família precisa perceber como a criança se comporta em relação ao que deseja”, diz a educadora. Para ela, a forma lúdica e educativa – como os clássicos porquinhos – resulta na abordagem mais eficiente.

Você vai se interessar por:

 

E você, como lida com o atual momento econômico brasileiro? Comente!

vale a pena usar roupas de marca
feiras de trocas
sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado