Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Como declarar aplicações financeiras no Imposto de Renda

A- A+

Investimentos são uma ótima maneira de garantir um dinheiro extra, especialmente, em momentos em que a economia não vai bem. No entanto, todo cuidado é essencial na hora declarar aplicações financeiras no Imposto de Renda (IR), pois qualquer erro no preenchimento pode fazer com que você caia na malha fina.

Para não cometer esse tipo de equívoco, confira o resumo que o Vivo Seu Dinheiro preparou para você, baseado em orientações da Receita Federal, e acerte ao declarar suas aplicações financeiras.

Todo cuidado é essencial na hora declarar aplicações financeiras no Imposto de Renda.

Quem investe em ações precisa declarar ganhos acima de R$ 20 mil. Foto: iStock, Getty Images

Aplicações financeiras no IR

De acordo com a Receita Federal, todas as aplicações financeiras e contas bancárias em sua posse devem ser informadas na declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, inclusive as isentas – aquelas que não são tributadas pelo órgão. Veja como como declarar investimentos no IR:

Tesouro Direto, CDBs e fundos de renda fixa

Aplicações que retêm o Imposto de Renda na fonte, como Tesouro Direto, fundos de renda fixa e CDBs precisam ser informadas na ficha Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva/Definitiva.

Assim, ao fazer a declaração online, o ícone ao lado da linha 6 (Rendimentos de Aplicações Financeiras) permite acrescentar diferentes tipos de investimentos, com seus valores correspondentes, a partir do botão Novo.

Você vai se interessar por:

Ações e demais aplicações de renda variável

No caso de investimentos com renda variável, como ações, por exemplo, declara-se o ganho acima de R$ 20 mil. Nesses casos, é preciso registrar no espaço denominado Demonstrativo de Renda Variável. Operações day trade também devem ser informadas na mesma ficha.

Caso tenha tido alguma perda de capital com ações, a quantia também deve ser informada como resultado negativo no Demonstrativo de Renda Variável, acrescentando um sinal de menos antes do valor.

Se a perda de um mês foi compensada com ganhos líquidos no mês seguinte, deve-se descontar o valor perdido e considerar o resultado consolidado ao longo de todo o ano.

O demonstrativo é composto de duas colunas (Operações Comuns e Operações Day Trade) e 12 páginas, sendo que cada uma corresponde a um mês do ano-calendário.

Aplicações financeiras isentas de IR

Por lei, também existem ganhos isentos do Imposto de Renda. São os casos, por exemplo, de ações com rendimentos inferiores a R$ 20 mil, LCI e LCA e caderneta de poupança, Nesse caso, essas operações devem ser informadas da declaração de ajuste anual na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

 

Gostou das dicas para declarar aplicações financeiras no IR? Compartilhe!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças