Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Como calcular a necessidade de capital de giro da sua empresa

A- A+

O investimento inicial com a estrutura de um escritório ou ponto de venda é geralmente a despesa mais alta ao abrir uma empresa. Mas um erro comum é achar que, tendo esse dinheiro, já é possível começar o negócio e colher os resultados. Uma companhia recém-criada tem uma necessidade de capital de giro muito alta, suficiente para cobrir as suas despesas até que o ponto de equilíbrio seja alcançado.

Não custa lembrar: o capital de giro é o montante que a empresa tem na mão, que serve para pagar as obrigações diárias e custos mensais da operação do negócio. Não entram nessa conta, portanto, os ativos com pouca liquidez, mas sim o dinheiro que você tem no caixa e na conta corrente.

Se você começar a empresa com capital de giro insuficiente, em alguns meses ficará no vermelho e vai precisar tomar um empréstimo para seguir operando. Aí começa uma espiral de juros e o seu negócio, recém-nascido, já estará em risco. Isso não quer dizer que o seu produto ou serviço seja ruim, mas que não houve um bom planejamento.

Homem avalia necessidade de capital de giro

Se abrir empresa com pouco capital de giro, em alguns meses estará no vermelho. Foto: iStock, Getty Images

O que é ponto de equilíbrio

Uma empresa que começa do zero, salvo exceções, demora algum tempo para se consolidar, tornar-se conhecida na região e conquistar clientes. É por isso que existe a necessidade de um capital de giro alto nos primeiros meses ou anos de operação, porque é natural que demore um pouco para ter lucro.

Um negócio bem administrado verá a diferença entre o valor dos custos fixos e variáveis e as receitas diminuir com o passar dos meses, até que se iguale. Eis o ponto de equilíbrio, o momento que você deixa de ter prejuízo e “empata”.

A partir daí, cada real recebido a mais é lucro, que poderá ir para o bolso do empresário, engrossar o capital de giro atual ou ser reinvestido na empresa.

Empresa consolidada também precisa de capital de giro

Mesmo depois que o ponto de equilíbrio é ultrapassado, não quer dizer que não é mais necessário manter um bom capital de giro. Basta entender o conceito de ciclo financeiro: ele compreende o período entre a data de pagamento aos fornecedores e o recebimento do dinheiro pela sua venda.

Imagine que você tem que pagar hoje, à vista, determinado fornecedor. O produto que comprou dele só será revendido em um mês e o seu cliente, a partir da data da compra, terá também um prazo de um mês para pagá-lo. Eis um ciclo financeiro de dois meses.

Como você só teve despesas até receber o dinheiro pela venda, nesse meio tempo é o capital de giro que vai bancar os gastos operacionais da empresa e as suas novas compras. Se ele faltar, tomar crédito com um banco é a alternativa.

Você vai se interessar por:

Como saber a necessidade de capital de giro

A melhor maneira de calcular é conhecendo o ciclo financeiro. A conta é a seguinte: some o valor das contas a receber com o valor em estoque, e diminua desse resultado as contas a pagar. O resultado é a sua necessidade de capital de giro mensal.

Entre o valor das contas a pagar podem estar os empréstimos tomados para que o negócio saísse do papel. Quando a empresa já dá lucro, se ela diminuir o seu prazo de recebimento, de modo que ele seja inferior ao prazo de pagamento aos fornecedores, a necessidade de capital de giro diminui, e você não será dependente de empréstimos bancários.

 

Gostou das dicas para calcular sua necessidade de capital de giro mensal? Então, compartilhe o conteúdo.

como montar uma empresa de cromagem
como lucrar vendendo bolo no pote
como lucrar na crise
lado bom da crise
como abrir uma microcervejaria
Prós e contras de trabalhar na empresa da família