Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Clube de investimento é opção para principiantes

A- A+

A opção de aplicar na Bolsa de Valores costuma atrair aqueles que iniciam no mercado financeiro. Por outro lado, a falta de conhecimento costuma desanimar. O segredo é começar a partir de modalidades mais simples, específicas para quem está começando. É o caso do clube de investimento, por exemplo, que serve como um instrumento de aprendizado.

Ele funciona como um condomínio fechado, em que alguns investidores se reúnem em torno de um CNPJ próprio e realizam aplicações conjuntas, a partir de um mesmo objetivo, explica o  diretor comercial do portal EuQueroInvestir.com, Denys Wiese.

Funcionamento de um clube de investimento

Para constituir um clube de investimento, é preciso reunir pelo menos três pessoas e no máximo 50. Como o objetivo é que todos estejam alinhados e carreguem as mesmas metas, essa modalidade costuma ser escolhida por grupos de pessoas que tenham vínculos muito próximos. É o caso de familiares, amigos ou investidores de uma mesma empresa.

“Os clubes de assemelham muito aos fundos de investimentos, com a diferença de que o primeiro possui mais regras, mais custos e mais profissionalismo. Já os clubes são menores, com restrição nos tipos de operações financeiras que são permitidas”, diferencia Wiese.

Outra regra é o máximo de cotas que um mesmo titular pode ter dentro de um clube de investimento. No total, esse número não pode ser maior do que 40%. Quando ele é ultrapassado, os membros contam com o prazo de 60 dias corridos para fazer as adequações necessárias.

Como fazer parte de um clube de investimento

Ser parte de um clube de investimento exige que você esteja vinculado a uma corretora, distribuidora de títulos ou ainda a um banco com carteira de investimentos. Essa instituição vai ser responsável por cuidar de todos os documentos e detalhes técnicos.

Mas, antes de ir em busca de uma administradora, o primeiro passo é reunir os investidores que vão fazer parte do clube e avaliar questões como a quantia que cada um vai aplicar, quais vão ser os ativos escolhidos e que objetivos vão guiar as decisões.

Um clube de investimento exige que os objetivos estejam alinhados. Foto: iStock, Getty Images

Um clube de investimento exige que os objetivos estejam alinhados. Foto: iStock, Getty Images

Vantagens e desvantagens oferecidas

Os prós e contras oferecidos por um clube de investimento andam muito próximos e dependem dos limites definidos quando ele é criado. Quando conta com um número maior de pessoas, as taxas e custos de administração diminuem, pois são divididos.
Por outro lado, se a quantidade de integrantes ficar próximo ao mínimo, Wiese lembra que os gastos ficam mais elevados e nem sempre compensam. A possibilidade de diversificar também costuma atrair, pois diminui os riscos envolvidos.
O principal cuidado deve aparecer na hora de determinar como vai ser feita a gestão dos recursos e das decisões. Estar entre conhecidos pode ajudar, mas também ser um problema quando as regras não são claras para todos. A vantagem é que, nesse processo, você aprende a lidar com as dificuldades e contratempos que o mercado financeiro pode oferecer.

Cartões de crédito com benefícios

Se você gosta de movimentar o seu dinheiro com praticidade e segurança, é bom conhecer os Cartões de Crédito Vivo. Com os cartões de crédito Vivo Santander e Vivo Itaucard 2.0, você tem diversas vantagens, como alerta SMS, bônus na recarga de celular, pontos no Vivo Valoriza, descontos nos ingressos de cinema e parcelamento em até 12 x sem juros nas Lojas Vivo.
> Cartões de Crédito Vivo: Conheça as vantagens

Gostou das dicas sobre clube de investimentos? Compartilhe!

como lucrar vendendo cosméticos
vale a pena usar roupas de marca
quando vale a pena comprar título de capitalização
esteira ou bicicleta ergométrica
dicas para comprar uma boa esteira
investir em imóvel na planta vale a pena