Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Casa sustentável é mais cara? Veja soluções ambientais mais acessíveis

A- A+

Com a necessidade de adotar práticas mais responsáveis na relação com o meio ambiente, soluções para ter uma casa sustentável são alternativa. O maior problema é o preço para realizar as mudanças necessárias, que nem sempre é convidativo e só costuma dar resultados financeiros a médio prazo.

Para construir uma cisterna com capacidade entre 2 mil e 3 mil litros, por exemplo, o custo fica entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, de acordo com o formato de construção da sua casa, explica o engenheiro de produção Roberval Brisolin. Mas com algumas adaptações e o uso de materiais alternativos, é possível conseguir preços menores.

Enquanto um filtro industrial que faria parte do sistema pode custar R$ 500, um modelo caseiro, feito com cano PVC e tela, é confeccionado por R$25. Ou seja, o valor investido também depende da sua criatividade na hora de pensar em soluções alternativas. 

Casa sustentável com pouco dinheiro

Mas se você não deseja investir tanto, também é possível contar com opções mais simples para diminuir o impacto causado ao meio ambiente no dia a dia. Ao invés de montar um sistema completo de cisterna, é possível fazer o reaproveitamento da água da chuva a partir das calhas.

Basta adicionar um cano que conduza a água até um recipiente localizado no chão, com capacidade a sua escolha. Para evitar o acúmulo de resíduos, adicione um filtro caseiro. Com o volume recolhido, é possível regar plantas, lavar veículos e mesmo limpar o pátio.

Já o lixo orgânico pode virar compostagem e servir como adubo, em um processo simples e que exige pouco espaço do seu pátio. Basta cavar um buraco e, dia após dia, depositar pilhas de resíduos, que vão ser enterrados e se decompor. A dica é evitar as gorduras animais, com decomposição mais difícil, e ainda restos de carne e alimentos com sal.

Como as opções de energia limpa, como é o caso da eólica e da solar, ainda têm custos elevados, uma possibilidade para diminuir o consumo de energia elétrica é aproveitar bem as janelas e mantê-las abertas sempre que possível. No interior dos cômodos, prefira pintar as paredes com cores claras, que refletem melhor a luz.

Com a compostagem a terra fica mais adubada e você reduz a quantidade de lixo depositado em aterros. Foto: iStock, Getty Images

Com a compostagem a terra fica mais adubada e você reduz a quantidade de lixo depositado em aterros. Foto: iStock, Getty Images

Casa sustentável com até 20% a mais de valorização

Além de preservar o meio ambiente e gerar maior economia, uma casa sustentável pode ser mais valorizada no mercado. Isso graças aos selos verdes que certificam as construções residenciais e comerciais feitas com base nos princípios de sustentabilidade.

O mais conhecido é o LEED (Liderança em energia e design ambiental), emitido pelo conselho norte-americano Green Builiding Council (GBC). Outro selo destinado a empreendimentos residenciais, loteamentos e bairros é o AQUA (Alta Qualidade Ambiental), cedido pela Fundação Vanzolini.

As obras que garantem um selo verde tendem a ser entre 10% e 20% mais valorizadas no mercado do que as obras normais. Os certificados são emitidos após a inscrição do empreendimento junto a empresa responsável, e mediante a avaliação e aprovação de técnicos ambientais.

Gostou das dicas para tornar a sua casa sustentável? Compartilhe!

como lucrar vendendo cachorro quente
como lucrar vendendo bolo no pote
como abrir uma franquia de alimentos
como abrir uma empresa de coleta de entulho
como se relacionar com as pessoas no ambiente de trabalho
como aumentar a produtividade