Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Carta Social: saiba como funciona esse serviço dos Correios

A- A+

Quando o assunto é economizar, vale qualquer esforço, não é mesmo? Ainda mais em tempos de crise. Mas como fazer quando precisamos nos comunicar com quem está longe ou mesmo enviar uma correspondência e o dinheiro está curto? Para resolver esse problema, os Correios oferecem um serviço chamado Carta Social. Saiba como ele funciona.

Conheça a Carta Social

A Carta Social é um serviço que os Correios prestam para facilitar o acesso a serviços postais, regulamentado pelo Ministério das Comunicações. Para utilizá-lo, é preciso ser pessoa física participante do Programa Bolsa Família ou ser dependente e ainda pessoa presa, brasileira ou estrangeira que esteja custodiada no Brasil.

O envio da Carta Social também tem algumas regras técnicas. Não é possível enviar encomendas nem grandes volumes. É preciso ter um máximo de 10 gramas de peso e deve estar corretamente preenchida, com remetente e destinatário manuscrito. Um mesmo remetente pode enviar no máximo cinco cartas por dia.

Carta Social custa R$ 0,01

Participação no Programa Bolsa Família é um dos requisitos para usar a Carta Social. Foto: iStock, Getty Images

Na hora de enviar, também é preciso identificar à mão, no canto inferior esquerdo do anverso do envelope, em cima das quadrículas onde coloca-se o CEP, a seguinte inscrição: “Carta Social”.

A carta precisa ser envelopada em material sem qualquer timbre ou promoção, nem do tipo “data-mailer”, autoenvelopáveis, podendo ser uma folha em branco, uma folha única confeccionada pelo remetente, que seja dobrada, ou um envelope simples, liso.

Quando o remetente for titular do Bolsa Família, ele deve identificar-se com o cartão do programa e sua identidade. No caso de dependente, é preciso levar o cartão do titular do benefício, a identificação desse titular e mais a do dependente. Pessoas que estejam presas devem seguir as regras específicas.

Carta Social custa R$ 0,01

A Carta Social custa somente um centavo e o pagamento é realizado por meio de um selo específico. A postagem é feita em guichês exclusivos nas agências dos Correios. Esse selo é vendido somente na hora da postagem devido à necessidade de verificação de aplicação das condições em que a carta se aplica (integrante ou titular do Programa Bolsa Família).

A única exceção se faz em casos de venda a filatelistas e comerciantes filatélicos, mediante procedimentos específicos. Os procedimentos estão disponíveis nas Agências Filatélicas dos Correios e na Agência de Correios de Vendas a Distâncias – ACDV/RJ.

As cartas sociais que sejam enviadas em caixas comuns de coleta, mesmo que sejam franqueadas, serão devolvidas ao remetente. Além disso nenhum serviço adicional é permitido junto à Carta Social.

Quais documentos usar

Os Correios alertam para a utilização de documentos de identificação corretos na hora da comprovação da condição de beneficiário da Carta Social. São aceitos:

  • Carteira com foto expedida por Comandos Militares, secretarias de Segurança Pública, Institutos de Identificação e Corpos de Bombeiros Militares
  • Certificado de reservista
  • Carteira funcional expedida por órgão público que, por lei federal, tenha validade como identidade
  • Carteira de Trabalho
  • Carteira Nacional de Habilitação.

Você vai se interessar por:

Economize sempre

Se você gosta de poupar cada centavo que ganha, pode realizar transações bancárias sem pagar taxas por isso, com toda comodidade. Com o Vivo Zuum, uma conta pré-paga gerenciada pelo celular, você pode fazer pagamentos, transferências e até mesmo recarga de celular. Tudo isso sem mensalidades. Se preferir, você pode adquirir o cartão Vivo Zuum para fazer compras no débito e saques.

> Vivo Zuum: Tenha conta corrente com cartão, sem banco, sem complicação

Gostou das dicas sobre a Carta Social dos Correios? Compartilhe!

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria
como montar uma drograria