Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda se vale investir em um carro antigo

A- A+

Novos ou usados, os carros estão no topo da lista de desejos dos brasileiros. Se for zero, ótimo. Se for mais velho, também há todo um charme envolvendo a aquisição. Há carro antigo que chega a custar até quatro vezes mais do que um modelo popular recém-saído da fábrica. Mas relaxe: nem tudo é custo nesse processo e um automóvel fora de linha ainda pode ser o mais atrativo para o seu perfil. A dica é estudar bem o mercado e adequar a compra às suas necessidades.

Por que um carro antigo?

Em primeiro lugar, você deve se perguntar “por quê”? O que o leva a querer um carro antigo? Muitas vezes, a resposta está baseada apenas na emoção: era o carro do meu pai quando nasci; meu avô tinha um veículo igual; na rua em que cresci havia um automóvel que me deixava fissurado…

São todas respostas dignas. Porém, você pode cair em uma cilada se for apenas atrás delas. É preciso saber que um carro antigo, dependendo do ano de fabricação e do modelo, pode não ter peças no mercado. E, justamente por ser um automóvel fabricado há muito tempo, a reposição de peças pode ser necessária.

A internet, claro, está aí para nos ajudar. Hoje, é possível vasculhar o mundo atrás de uma peça para carro antigo. Contudo, não esqueça que isso representa gastos, pois trazer uma peça de longe vai custar caro.

carro-antigo

Custos de manutenção e isenção de IPVA devem ser considerados. Foto: iStock, Getty Images

Uso para o carro antigo

Além da manutenção, você precisa saber o uso que fará do carro. Se quiser um carro de colecionador, para dar umas voltas no fim de semana, você vai encontrar uma série de opções. Mas se a ideia for usá-lo diariamente, aí a busca muda de foco, e recomenda-se que você considere o consumo de gasolina e, de novo, a questão mecânica.

Há carro antigo, por exemplo, que não suporta o trânsito no estilo “anda-e-para” das grandes cidades. E tem veículo antigo que vai consumir combustível como quem toma água depois de uma corrida em um dia de calor.

Para João Marin, do site Carro Antigo, esses veículos, pela tecnologia utilizada à época, não apresentam condições satisfatórias para serem utilizados diariamente, especialmente nos quesitos segurança e poluição.

O preço a ser pago

O ano, o modelo e a conservação vão definir o preço de um automóvel antigo, assim como os itens que ele eventualmente tenha recebido. Existe quem valorize o fato de o carro estar o mais próximo possível do modelo original de fábrica, sem nada a mais ou a menos.

Por outro lado, existem aqueles que não se importam se o antigo foi modificado e modernizado, recebendo equipamentos de última geração, como computador de bordo, câmbio e, claro, um motor novo.

Mas o preço será definido mesmo pela velha lei da oferta e da procura. “Como não há mais produção e sempre há pessoas à procura, o preço tende a subir com a passar dos anos. O mercado brasileiro tem um preço compatível com sua economia. Não é só o carro antigo que é caro no Brasil, quase tudo o é”, explica Marin.

Segundo Marin, a legislação brasileira considera veículo antigo os carros com mais de 30 anos de fabricação. Contudo, há eventos que já levam em conta aqueles com mais de 20 anos de estrada. Esses “nem tão antigos assim” são encontrados a preços razoáveis no mercado.

A partir da terceira década de vida, no entanto, eles geralmente custam (bem) mais caro. Cuidado apenas para não comprar uma lata velha que exija praticamente a reconstrução do seu antigo.

Quer uma vantagem?

Não importa em qual estado você mora: você estará livre da principal obrigação tributária anual para veículos, o imposto IPVA. As regras mudam conforme a unidade da federação, mas, de forma básica, é possível considerar que, se o seu carro têm pelo menos 20 anos de fabricação, ele estará isento da cobrança.

Esse é o período considerado, por exemplo, em estados como Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Rio de Janeiro, Distrito Federal e Bahia estão entre aqueles que concedem a isenção para carros com 15 anos de fabricação. Já Goiás, Acre e Rio Grande do Norte não cobram IPVA de veículos a partir de 10 anos de fabricação.

Clubes de carro antigo

Atualmente, já existe no Brasil uma série de clubes que reúnem colecionadores de carro antigo. Há até mesmo cursos bem específicos incentivados por esses grupos, como os que ensinam mecânica para os antigos, além dos encontros que são promovidos e ajudam a alimentar essa paixão – e a facilitar o câmbio de peças raras.

O segredo de tudo é a pesquisa. Busque informações a respeito do que seria melhor para o seu perfil e tome uma atitude consciente, sabendo de antemão o que deve surgir pela frente em relação a gastos.

Assistência para o seu carro

Assim que o negócio for concretizado, é bom ter acesso fácil para solucionar qualquer imprevisto. Com o Vivo Assistência Casa e Auto, você conta com serviços de eletricista e encanador para sua casa, socorro mecânico para seu automóvel e chaveiro para os dois, sempre que precisar, por apenas R$ 5,90 por mês.

> Vivo Assistência Casa e Auto: Garanta socorro mecânico em emergências

Pronto para investir em um carro antigo? Deixe um comentário.

como calcular a reforma de um apartamento
quanto custa um seguro de casa
como escolher uma seguradora de veiculos
preço de imoveis começa a cair
economizar no seguro da casa
economizar no seguro do carro