Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Carga tributária e alto risco são desafios dos fundos cambiais

A- A+

Para quem aprecia uma boa dose de risco, acompanha com frequência o sobe e desce das moedas internacionais e possui uma boa reserva financeira para lidar com as taxações, investir em fundos cambiais pode ser alternativa interessante.

Criada por instituições financeiras, a modalidade é também administrada por bancos e corretoras de valores que, além de negociar dólares, euros e ienes, por exemplo, também avaliam ativos de renda fixa para alocar o dinheiro e repassar aos investidores.

Fundos cambiais têm moedas estrangeiras

Fundo cambial é composto ao menos em 80% por ativos de moedas estrangeiras. Foto: iStock, Getty Images

Investindo em fundos cambiais

Conforme explica o coach financeiro Bruno Papi, fundador da empresa General Investidor, os fundos cambiais são divididos em pelo menos 80% de sua carteira em ativos relacionados a moedas estrangeiras e o restante em investimentos de renda fixa, como títulos públicos, privados, CDB.

O especialista também ensina a investir na modalidade depois de verificar a disponibilidade em uma instituição financeira. “Você deve avaliar o valor inicial para aplicar, taxas e a carteira do fundo, ou seja, onde o fundo cambial aplica o seu dinheiro e se realmente possui pelo menos 80% de investimentos em moeda estrangeira que o valide como tal”, completa.

Normalmente, essa modalidade é procurada por investidores que querem realizar negociações cambiais, mas não acham prático ou seguro manter a moeda em espécie guardada.

Prós e contras dos fundos cambiais

Assim como qualquer outra modalidade de investimento, os Fundos Cambiais têm seus pontos positivos e negativos e é preciso estar bastante atento às oscilações para saber o que fazer no momento certo. Saiba o que avaliar antes de investir:

Pontos positivos

  • Segurança: Mais seguro do que manter moeda em espécie em casa
  • Administração: Um gestor ou administrador experiente vai cuidar das escolhas e da carteira
  • Liquidez: Permite ao investidor obter o dinheiro rapidamente – em alguns casos, apenas um dia de espera.

Pontos negativos

  • Taxa de Administração: O gestor ou administrador cobra pelos seus serviços. Verifique o valor do seu fundo, que costuma variar entre 1% e 6% ao ano dos valores investidos
  • Taxa de Performance: Alguns fundos cambiais quando superam determinada marca podem cobrar um valor a mais. Verifique na hora de escolher
  • Imposto de Renda (tabela regressiva): No resgate do seu dinheiro, será cobrado Imposto de Renda e as alíquotas variam conforme o prazo de aplicação. Quanto mais longo for o vencimento, menor é a porcentagem cobrada
  • IOF: Também é cobrado Imposto sobre Operações Financeiras caso os resgates ocorram em um prazo inferior a 30 dias da data de aplicação no fundo
  • Tributação semestral – come cotas: No último dia útil dos meses de novembro e maio de cada ano, há uma alíquota de 15%
  • Alto risco: Por investir em moeda estrangeira, o fundo pode oscilar para cima e também para baixo. Assim, o investidor que escolher essa aplicação fica sujeito a grandes perdas e ganhos.

Você vai se interessar por:

 

O que achou da ideia de investir em fundos cambiais? Compartilhe as dicas!

O controle financeiro pessoal e o futebol
queda do dólar
preço do dólar turismo
o que é fluxo cambial
taxa Ptax
levar dinheiro na viagem