Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Assistência viagem é obrigatória em muitos países da Europa

A- A+

Viajar para a Europa é o sonho de muita gente. Para conhecer o velho continente, só é preciso de passaporte, já que a maioria dos países não exige visto para os brasileiros. Em compensação, pouca gente sabe que 27 países da União Europeia exigem a contratação de uma assistência viagem. Sem ela, a entrada não é permitida.

Isso acontece por causa do Tratado de Schengen, acordo assinado entre países da Comunidade Europeia para livre circulação de pessoas sem a necessidade de apresentação do passaporte nas fronteiras. Esse tratado estabelece a obrigatoriedade de que os turistas visitando esses países comprovem possuir uma assistência viagem com o valor mínimo de 30 mil euros para garantir assistência médica por doença ou acidente.

Assistência viagem para a Europa

Assistência viagem é a garantia de uma viagem tranquila. Foto: Shutterstock

Assistência viagem: o que ela cobre?

De todos os países que compõem a União Europeia, dois deles não exigem apresentação de assistência viagem na entrada: Reino Unido e Irlanda. Mesmo assim, pode ser muito útil contratá-la.

A assistência viagem é amplamente oferecida atualmente por diversas seguradoras e instituições financeiras no mercado. O processo de contratação é rápido e fácil e as opções de preço variam de acordo com as coberturas adicionadas.

A assistência pode ser adquirida até mesmo um dia antes da viagem. O passageiro precisa estar atento apenas ao seu período de vigência, que só começa na hora do embarque e termina na volta para casa.

Uma boa assistência viagem obrigatoriamente cobre proteção para riscos de morte acidental e translado do corpo, além de invalidez total, permanente ou parcial, causado por acidente.

No caso de viagens de maior duração, é recomendado que o plano da assistência também cubra despesas médicas e odontológicas. Algumas assistências cobrem ainda ressarcimento do cancelamento de viagem, assistência jurídica, extravio e atraso de bagagens, repatriação e outros itens.

“Muita gente tem dificuldade para entender qual seria o valor de cobertura mais adequado para a assistência viagem e acaba contratando a cobertura básica”, afirma Marco Rossi, presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais (CNseg).

Segundo Rossi, esse é um erro comum que precisa ser evitado. “Antes de contratar a assistência, o viajante precisa pesquisar sobre os valores médios das despesas médicas dos países de destino, por exemplo, e checar todas as informações de coberturas de assistência oferecidos pela seguradora”, alerta.

Preço da assistência viagem para a Europa

O principal fator que influencia no preço da assistência viagem é a sua cobertura. Por isso, é importante o turista pesquisar os custos com a diária de um hospital ou uma intervenção cirúrgica antes de viajar e contratar o serviço.

“Não vale a pena economizar na cobertura. A diferença de preço entre as coberturas de assistência não é tão grande, mas caso aconteça algum problema ou acidente, essa diferença é enorme para o bolso do viajante”, aconselha o presidente da CNSeg, Marco Rossi.

No caso dos países europeus, a assistência viagem obrigatória deve ter cobertura mínima de 30 mil euros. O serviço pode ser contratado em seguradoras, empresas de cartão de crédito e agências de viagens.

“Agências de viagens costumam ter parcerias e oferecem uma assistência já pré-definida”, explica João Cardoso, cofundador da corretora TaCerto. “Mas vale a pena o viajante pesquisar e contratar o serviço por conta própria. Dessa forma, ele vai ter mais opções de níveis de cobertura e melhores preços também”, orienta.

Gostou das dicas sobre assistência viagem na Europa? Compartilhe!

organizar a mala
esconder gastos
free shop
moedas mais caras do mundo
quanto gastar na europa por dia
trabalhar de babá no exterior