Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Aprenda a definir o que é importante para você e sua vida

A- A+

Definir o que é importante é fundamental para atingir seus objetivos. Mas esse conceito não é válido apenas para a vida pessoal ou sentimental. Ele pode ser aplicado conjuntamente para a organização das finanças.

Você já deve ter ouvido falar que, nos tempos atuais, o tempo é o maior artigo de luxo. Sim, porque de nada adianta ter uma fortuna em dinheiro se não tiver tempo de desfrutá-la. Mas mesmo para quem ainda está construindo uma estabilidade financeira, é indispensável conhecer alguns conceitos de administração de tempo para aplicá-los.

Homem pensa sobre o que é importante

Realização do sonhos depende de definir metas e dividir melhor o seu tempo. Foto: iStock, Getty Images

Definições de importância

Pelas teorias mais modernas, as tarefas diárias são divididas entre as importantes, as urgentes e as circunstanciais. Confira:

  • Importantes: Tudo o que traz a sensação de bem-estar. Por isso, está intimamente ligada à qualidade de vida.
  • Urgente: Tudo o que deve ser executado com pressa e que geralmente vem acompanhado de muita pressão e estresse. Pode ser um relatório de última hora ou um acidente, por exemplo.
  • Circunstancial: São as atividades que não trazem muitos benefícios, ou o legítimo “tempo jogado fora”. Aquela ida ao supermercado que poderia levar poucos minutos, mas consumiu uma hora, é um exemplo clássico.

O que é importante para você?

Quando se questiona sobre o que é importante, a resposta tende a ser pessoal. Afinal, assim como nos demais campos, na vida financeira, essa definição varia de pessoa para pessoa. Para você, investir o dinheiro na prática de um esporte pode ser importante, enquanto para outro, viajar pode ser trazer mais sensação de prazer.

Justamente por isso, a importância de tudo deve estar ligada a um objetivo de vida. Ainda que seus projetos não sejam urgentes, eles devem ser colocados em primeiro lugar, para você não fique o tempo todo “descascando os abacaxis” sem nunca sair do lugar.

Especialistas indicam que uma pessoa muito eficaz investe de 55 a 70% do seu tempo em coisas importantes, de 15% a 25% em atividades urgentes e menos de 5% em assuntos circunstanciais. E você, como anda se dividindo?

Você vai se interessar por:

Finanças x objetivos

Mas como coordenar isso tudo? No universo das finanças pessoais, antes de mais nada, é preciso definir onde se quer chegar. Será que você está investindo seu tempo em algo importante (uma viagem, um carro novo, um curso) ou em coisas urgentes (como pagar uma conta ou encontrar dinheiro para consertar um vazamento)?

Para ter mais tranquilidade financeira, defina uma meta e passe a persegui-la. Pode parecer um conceito ultrapassado, mas é infalível. Em seguida, organize sua agenda para dedicar mais seu tempo ao que realmente lhe faz bem.

As atividades circunstanciais são mais fáceis de eliminar da sua rotina, mas as urgentes, nem sempre. Por isso, estude maneiras de reduzir emergências. Se for necessário, compre uma agenda ou redobre os cuidados com a organização.

Se o seu sonho, por exemplo, é abrir uma empresa, mas nunca sobra dinheiro para uma reserva financeira – ou talvez nem para o básico – é preciso readequar suas contas e suas atitudes para não passar a vida toda apagando incêndios, sem nunca chegar perto do seu objetivo. Se for necessário, elimine alguma atividade para se dedicar à sua meta.

 

E para você, o que é importante? Deixe seu comentário e compartilhe esse conteúdo!

melhor lugar para trabalhar
Já sabe o que fazer quando terminar a faculdade
Cuidando das finanças no lar
Fazendo o controle de finanças na prática
Homem sem tempo
Vai devolver bem financiado