Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Aprenda a reduzir o transtorno da perda de documentos

A- A+

Passar ileso pelo transtorno do roubo ou perda de documentos é impossível. Sempre será necessário tempo e esforço para refazer o que foi extraviado. Mas há formas de minimizar esse trabalho todo.

Perda de documentos deve ser registrada

O primeiro passo a ser dado logo após verificar a perda de documentos (ou roubo) é registrar um boletim de ocorrência (BO) em uma delegacia de Polícia Civil. Em muitos Estados, é possível também fazer esse registro de forma virtual, pelo site da Polícia. Só depois de ter esse registro em mãos você pode, efetivamente, refazer seus documentos.

O segundo (e importantíssimo) passo é comunicar a perda de documentos aos órgãos de proteção ao crédito. Com um telefonema, você reduz o risco de uma fraude em seu nome. Isso porque, caso alguém tente fazer uma compra ou abrir uma conta em seu nome, por exemplo, o estabelecimento que fizer a consulta de crédito receberá um alerta de que está diante de fraude.

seudinheiro-perda-de-documentos

Registrar um boletim de ocorrência (BO) é o primeiro passo após a perda. Foto: iStock, by Getty Images

O risco maior, claro, é de o fraudador fazer isso antes que você comunique os serviços de proteção ao crédito e a polícia. Portanto, a comunicação deve ser feita de forma rápida.

Perda de documentos: centrais de serviços agilizam segunda via

Em muitas regiões do Brasil, os governos estaduais colocam à disposição as centrais de serviços. Via de regra, elas disponibilizam inúmeros serviços ao cidadão, entre eles a segunda via de diversos documentos.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, a central de serviços chama-se TudoFácil, e é a ela que recorrem milhares de cidadãos para recomeçar sua jornada. No caso da perda de documentos, pode-se fazer, nessa central, a carteira de identidade, a segunda via do CPF e a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

Isenção para documentos roubados

Desde 2012, a lei 9.795 garante ao cidadão a gratuidade na segunda via de carteira de identidade, carteira de habilitação e licenciamento anual do veículo para casos de roubo. A isenção de pagamento, no entanto, só é concedida mediante apresentação do BO.

Já no caso da CTPS, por exemplo, é interessante observar que a segunda via nunca é paga, e nem as demais, se for o caso. Ela é gratuita, independentemente do motivo – perda de documentos, roubo, furto ou mesmo quando esgotam os campos de preenchimento.

Para evitar qualquer tipo de transtorno e manter-se sempre informado, o Vivo Alerta CPF pode ajudar. Trata-se de uma parceria entre a Vivo e o Serasa Consumidor que envia alertas de SMS toda vez que seu nome for consultado ou alterado nas bases dos cadastros negativos.

O usuário também recebe um alerta quando seu nome estiver prestes a ser negativado, além de dicas para evitar fraudes e uma área exclusiva com acesso logado para saber a situação completa do seu CPF. Tudo isso por apenas R$ 4,99 mensais, sendo que os primeiros sete dias são grátis.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Gostou das dicas de perda de documentos? Cadastre-se e receba nossa newsletter.

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças