Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Gasto com alimentação deixa o custo de vida em Porto Alegre mais alto

A- A+

Com o momento de instabilidade econômica vivido no país, a população costuma sentir no dia a dia o aumento de preços. O custo de vida em Porto Alegre, por exemplo, dá sinais de aumento em diversos setores.

Atualmente, a capital gaúcha conta com a cesta básica mais cara do país, de acordo com levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Já no ranking estabelecido pelo site Custo de Vida, uma iniciativa que compara cidades brasileiras, a capital dos gaúchos ocupa a 29ª posição entre aquelas de maior custo do país.

Custo de vida em Porto Alegre.

Porto Alegre tem hoje a cesta básica mais cara do país, segundo o Dieese. Foto: Vanessa Silva, PMPA

Alimentação eleva custo de vida em Porto Alegre

De acordo com os dados do Dieese do mês de setembro, Porto Alegre voltou a oferecer a cesta básica com maior custo do país: R$ 385,70. O resultado coloca a cidade à frente de capitais como São Paulo (R$ 383,21), Florianópolis (R$ 383,10) e Rio de Janeiro (R$ 362,90). Só no acumulado dos noves primeiros meses do ano, o aumento já é de 10,66%.

Para Alfredo Meneghetti, economista e professor da Pontífica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, não é só o aumento generalizado de preços que explica a colocação de Porto Alegre no ranking. A localização da cidade, no extremo Sul do país, também é decisiva.

Com a distância dos grandes centros de distribuição e os efeitos da falta de infraestrutura no setor de logística do país, o custo de vida em Porto Alegre acaba se tornando mais elevado.

Individualmente, a batata tem sido a grande vilã dos preços altos nos últimos meses. Até então considerado um produto barato, ele passou a pesar no bolso.

“Em termos de queda, o Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas faz a consideração do leite longa vida, da cebola e dos pães. Nos pães, vale notar que, mesmo com o dólar em alta, o que influencia no preço do trigo, que é importado, não houve um aumento expressivo”, complementa o economista.

Mas vale ressaltar que não se sabe qual vai ser o comportamento do mercado daqui em diante. Com o dólar se mantendo em alta, é possível que o aumento seja repassado para o consumidor, destaca Meneghetti.

Você vai se interessar por:

Custo de vida em Porto Alegre deve aumentar

Em setembro, os deputados do Rio Grande do Sul aprovaram aumento no valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Com isso, a porcentagem de cobrança passa dos atuais 17% para 18%.

Embora o maior impacto seja em produtos como a energia elétrica e a gasolina, Meneghetti acredita que a mudança gere uma perspectiva geral de aumento nos preços, mesmo nos produtos da cesta básica, que não fazem parte do reajuste.

O resultado deve ser um custo de vida em Porto Alegre mais elevado, enquanto o estado busca alternativas para superar a crise financeira e as dívidas acumuladas ao longo das últimas décadas.

Até 2014, a capital gaúcha ocupava o posto de oitava cidade mais cara do país, de acordo com pesquisa do site colaborativo Expatistan. A lista foi feita com base na média do preço de 40 itens diferentes, avaliados por 286 mil pessoas em cerca de duas mil cidades de todo o mundo.

 

Você tem uma boa dica contra a alta do custo de vida em Porto Alegre? Comente!

por que as coisas são tão caras no Brasil
aplicativos para economizar no supermercado
Valor da cesta básica em Rio Branco
Valor da cesta básica em Cuiabá é alto
Valor da cesta básica em Curitiba é alto
Valor da cesta básica em Florianópolis é alto