Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Bola de neve: acúmulo de dívidas pode ser difícil de controlar

A- A+

Ter dívidas, por vezes, é um caminho para realizar sonhos. Organizar-se para contrair um débito – e pagá-lo em dia – não faz do status de devedor um drama. O problema é quando eles vão crescendo, os juros vão aumentando e as contas, mesmo as que começaram pequenas, transformam-se em uma bola de neve.

É esse acúmulo de dívidas que levam você a uma lista de inadimplentes, “sujam” o seu nome e tiram o seu sono. Se você se enquadra entre aqueles que não fazem bom uso do cartão de crédito e se mostram desatentos quanto ao cheque especial, é um sério candidato a passar por essa experiência nada agradável.

Dívidas podem crescer e transformam-se em uma bola de neve.

Controle dos gastos é atitude essencial para fugir do acúmulo de dívidas. Foto: iStock, Getty Images

Coloque um freio na bola de neve

O consultor financeiro Antônio Nascimento, da consultoria DSOP, dá algumas dicas para se organizar-se financeiramente e livrar-se das dívidas. A primeira delas diz respeito ao cartão de crédito.

Se você optar pelo pagamento mínimo da fatura, que corresponde a 15% do débito total, passará de um alívio ilusório nesse mês para um choque de realidade no próximo. Afinal, o valor que deixou de pagar estará sujeito aos maiores juros praticados no Brasil, que chegam a 395,3% ao ano.

Mas o cenário pode ficar ainda pior: se fizer mais compras, a nova dívida se juntará à antiga, acrescida dos temidos juros. O pagamento mínimo fica maior e a dívida total, nem se fala.

Essa é uma das piores formas de ser apresentado ao efeito bola de neve e, embora colocar a culpa no instrumento de pagamento não resolva o seu problema, cancelar o cartão pode ser a única solução diante da indisciplina financeira. Mas Nascimento alerta que isso deve ser feito da forma correta para não aumentar o saldo devedor.

Conforme o Código de Defesa do Consumidor, é preciso solicitar o cancelamento via correspondência, com aviso de recebimento (AR), declarando o atraso e pedindo que a empresa se manifeste em dez dias.

Quando há declaração de mora (atraso), podem incidir juros máximos de 1% ao mês, segundo a lei e correção monetária – que geralmente tem base no IGP-M – sobre o saldo devedor. Com essa medida, os juros do contrato (superiores a 10% ao mês) não podem mais incidir.

Apesar dessa possibilidade, o consultor financeiro recomenda que o endividado tente um acordo para o pagamento da dívida. Negociar e parcelar, se for o caso. “Mas deve caber, com folga, no seu orçamento”, ensina. “Essa é a única forma de evitar que a dívida se transforme em uma bola de neve”, acrescenta.

Bola de neve com o cheque especial

Se a bola de neve que vem perseguindo você se originou no cheque especial, o melhor é conversar com o gerente do banco. O objetivo é encontrar a melhor forma para que a dívida seja paga, sem contar a possibilidade reduzir as taxas de juros.

Antes da conversa, faça uma estimativa de gastos e veja o que pode ser cortado para conseguir pagar uma parcela maior ao banco, quitando a dívida mais rápido. É bom que você já tenha uma ideia de quanto pode pagar por mês.

Se a situação estiver fora de controle, com muitas dívidas diferentes, a solução pode ser um empréstimo para pagar todas as contas em atraso e ficar com uma única dívida. Quitar os débitos à vista pode render bons descontos. Para organizar melhor seu orçamento, um crédito consignado pode ser opção.   

Entretanto, se o consumidor é uma pessoa impulsiva e as suas finanças estão descontroladas, talvez apenas negociar a dívida ou diminuir o valor do limite não sejam atitudes suficientemente eficazes.

“Como último recurso, e para evitar tentações e fugir de um endividamento maior, ele deve cancelar a linha de crédito até que a dívida do cheque especial seja completamente quitada”, explica.

Você vai se interessar por:

Conheça cuidados para não perder dinheiro no dia a dia

Saiba como verificar a taxa do cheque especial

Entenda como funciona o limite do cartão de crédito

Seu nome protegido

Se você convive com dívidas, precisa conhecer o Vivo Alerta CPF. Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Que tal se prevenir e fugir da bola de neve? Cadastre-se e receba nossa newsletter.

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças