Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

9 dicas do Procon para contratar pacotes turísticos

A- A+

Você economizou para viajar, escolheu o destino e falta só definir a data e o pagamento. Por mais conhecida que seja a agência de viagens, o consumidor sempre deve se precaver ao contratar pacotes turísticos. Sem informação, ele desconhece seus direitos e deveres, ficando sujeito a experiências desagradáveis no passeio e, o pior, a prejuízos no bolso.

Procurando pacotes turísticos

Consumidor deve guardar toda a documentação, das propagandas ao contrato. Foto: iStock, Getty Images

Como contratar pacotes turísticos com segurança

Para não errar na compra de pacotes turísticos, vale conferir as dicas divulgadas pelo Procon de São Paulo. Veja que os cuidados começam muito antes da assinatura do contrato junto à agência escolhida.

1. Contratação

Após a escolha do passeio e do roteiro, avalie o tipo de pacote, se individual (personalizado) ou excursão. Os individuais são mais indicados quando se prefere maior liberdade na programação, afinal, tanto a hospedagem como o transporte são previamente contratados. Assim, datas de saída e chegada devem ser seguidas com rigor.

No caso da excursão, roteiros e horários são fixos, valendo a pena checar o número de pessoas que compõem o grupo.

2. Valores

A pesquisa de preços é fundamental. A oferta por meio de anúncios e folhetos deve ter informações precisas referentes à viagem, como valores cobrados nas partes aérea e terrestre, categoria das passagens, taxas de embarque, tipos de acomodação (quarto duplo, individual), traslados, refeições oferecidas, guias, número exato de dias, juros nos pagamentos a prazo e, por fim, despesas extras que ficarão por conta do consumidor.

Guarde todo material publicitário para comprovar a oferta se for necessário reclamar junto a órgãos de defesa do consumidor.

3. Câmbio

No caso de viagens internacionais, fique atento para a cotação de câmbio, pois isso afeta os gastos de maneira geral. Nas transações realizadas com cartão de crédito, o valor das compras ou saques, em qualquer moeda, será convertido para dólar americano, mas será cobrado em reais na fatura. A taxa de conversão será a vigente na data fixada em contrato.

4. Referências

Procure referências sobre agências de viagem com pessoas de confiança que tenham usado os serviços. O Procon-SP disponibiliza o cadastro das empresas reclamadas pelo telefone 151 ou pelo seu site.

5. Contrato

No contrato, ou ficha de roteiro de viagem, deve constar tudo o que foi acertado verbalmente e oferecido pela publicidade. As cláusulas que possam colocar o consumidor em desvantagem exigem maior atenção, sobretudo quanto à possibilidade de alterações nos hotéis, passeios, taxas extras e transportes.

6. Comprovantes

Fechado o negócio, a agência deve fornecer os vouchers (comprovantes de reserva de hotéis, traslados, entre outros) além dos recibos dos valores pagos, bilhetes e passagens com datas de saída e chegada.

7. Documentação

Informe-se sobre a necessidade de vistos, vacinas, autorização de viagem para menores, entre outros, providenciando-os antecipadamente. Verifique também os limites alfandegários para gastos no exterior. Problemas durante a viagem devem ser comunicados aos responsáveis e, se possível, registrados por meio de fotos ou vídeos.

8. Cancelamentos

Caso a agência cancele a viagem, existe a obrigação de restituir todos os valores pagos corrigidos, além de eventuais prejuízos financeiros ou danos morais – nesse caso, via judicial.

Quando a desistência parte do consumidor, a decisão deve ser comunicada por escrito, com a maior antecedência possível. Exceto a parte aérea, o agente de turismo poderá reter percentuais proporcionais ao prazo em que a empresa foi informada do cancelamento. Quanto à passagem, a restituição dependerá do tipo de pacote contratado.

9. Situações de emergência

No entendimento do Procon de São Paulo, e de acordo com o artigo 6º, inciso I, do Código de Defesa do Consumidor (que estabelece a proteção da vida, saúde e segurança como direitos básicos) há opções ao turista com viagem marcada para regiões que passam por situações de emergência, como terremotos, furacões, pandemias e enchentes.

É de livre escolha do consumidor trocar pacotes turísticos ou passagem para outra data ou local, sem pagamento de tarifas ou taxas. Ele pode também optar pelo cancelamento do contrato, com direito à restituição de quantia antecipada, monetariamente atualizada, sem pagamento de multas.

Já no caso de sumiço ou falência da empresa, o consumidor deve procurar o Poder Judiciário.

Você vai se interessar por:

Encontre sua passagem no Vivo Compras

Já decidiu seu destino de viagem? Então, é hora de pesquisar preços e programar suas férias. E para isso o Vivo Compras pode ser um excelente aliado: o portal ajuda a encontrar as passagens aéreas mais baratas, os pacotes turísticos de melhor custo-benefício e as opções de hospedagem que cabem no seu bolso.

Seu cartão para os gastos na viagem

Se você quer um cartão para pagar por seus gastos durante a viagem é só escolher aquele que mais se adapta às suas necessidades e exigências. Com os Cartões de Crédito Vivo, você pode parcelar em até 12 vezes sem juros nas lojas Vivo e somar pontos no programa de recompensas Vivo Valoriza.

Oferecidos em parceria com o Itaú e o Santander, eles também dão bônus e pontos para você falar mais em ligações para telefone fixo ou de longa distância, enviar SMS e acessar a internet, além de descontos em cinema e muitas outras vantagens.

> Cartões de Crédito Vivo: Conheça as vantagens

E você, também tem dicas para contratar pacotes turísticos? Comente!

Comprar tablet
Mulher entende o que é carnê-leão
Comprar smart tv
micro-ondas ou forno elétrico
geladeira com freezer ou congelador
vale a pena comprar produtos da apple