Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

6 pequenas mudanças que podem eliminar as dívidas em 2016

A- A+

O cartão de crédito está próximo do limite, você já entrou no cheque especial e tem contas atrasadas. Nesse momento de dificuldade, é comum negligenciar o impacto positivo que pequenas mudanças na rotina podem trazer para o orçamento.

Isso porque, muitas vezes, o acúmulo de dívidas desmotiva o consumidor. Surge o pensamento de que nada pode ser feito para amenizar a situação e a resignação com os juros toma conta. Em vez de melhorar, essa postura piora o endividamento. É como se você estivesse em uma casa em chamas e procurasse uma poltrona para sentar, em vez de correr para a saída.

Pequenas mudanças ajudam a sair do vermelho.

Novos hábitos no dia a dia são atalho para uma melhor saúde financeira. Foto: iStock, Getty Images

A força dos pequenos gestos

Digamos que, todos os dias, você compre um picolé de sobremesa no almoço. São R$ 4,00 diários (por exemplo) saindo da sua carteira diariamente. Não parece significativo quando analisamos individualmente, mas quanto essa decisão custa em médio e longo prazo?

Faça as contas: R$ 4 por dia são R$ 20 por semana, totalizando cerca de R$ 80 por mês. Ao longo do ano, serão pelo menos R$ 880 com o doce, considerando que você tire um mês de férias. De repente, aquele pequeno gasto diário se transformou em uma grande despesa. Deu pra entender como mudanças sutis podem influenciar no orçamento?

Você vai se interessar por:

6 pequenas mudanças para sair do endividamento

Listamos, a seguir, seis mudanças de hábitos para você sair do vermelho, mesmo que seja com pequenos passos.

1. Dê valor para a comida caseira

Comer todos os dias fora de casa pesa no orçamento, e você provavelmente já fez as contas para chegar à mesma conclusão. Se a sua empresa conta com uma cozinha, na qual é possível esquentar os alimentos, monte sua marmita alguns dias por semana e economize nas refeições.

2. Organize caronas

Em vez de ir sozinho no seu carro para o trabalho, considere organizar um sistema de caronas com um colega que mora no mesmo bairro ou passa próximo à sua região. O mesmo vale para a universidade, a escola de idiomas e a academia.

3. Desplugue itens eletrônicos da tomada

Aquele led que fica aceso no monitor, no DVD, na televisão e no micro-ondas está gastando energia elétrica, mesmo que ínfima. Se possível, desplugue os eletrônicos da tomada quando não estiver usando (principalmente de madrugada) e faça as contas para avaliar a economia ao fim do mês.

4. Reaproveite

Seu filho realmente precisa de um materiais escolares novos? É impossível reaproveitar o que foi usado no ano passado? Todos os cadernos foram utilizados? Você não conhece pais de outras turmas, que poderiam vender os livros usados? Avalie a possibilidade de reaproveitar diversos artigo no dia a dia.

5. Desapegue

Vá até o roupeiro e analise as roupas uma a uma. Separe aquilo que você não usa há mais de cinco meses e seja sincero: você voltará a usar? Caso contrário, procure alternativas para se desfazer dos itens e lucrar, desde que estejam em bom estado. Há diversos sites para vender artigos usados na internet, como OLX, Desapego e Enjoei.

6. Informe-se na internet

Você lê todas revistas e jornais que chegam à sua casa? Considere substituir a assinatura pelas informações na internet. Com um pouco de paciência, você vai encontrar os portais de sua preferência e adaptar sua rotina à nova realidade. Vale lembrar, ainda, que boa parte do conteúdo de revistas e jornais também é publicado na internet.

 

Viu como pequenas mudanças podem ajudar no orçamento? Compartilhe as dicas!

vale a pena usar roupas de marca
feiras de trocas
sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado