Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

6 conceitos que não podem faltar na educação financeira para crianças

A- A+

Seus filhos conhecem o real valor do dinheiro? Além de introduzir noções econômicas que serão importantes no futuro, a educação financeira para crianças permite que os jovens aprendam a administrar os próprios recursos desde cedo.

A ideia é transformar a educação financeira em um tema comum ao cotidiano, apresentando-o de forma natural, sem imposições.

Se o assunto for abordado de forma gradativa, o jovem chegará à vida adulta com noções bastante claras a respeito do próprio dinheiro, o que tende a diminuir os riscos de descontrole financeiro e consumismo desenfreado.

Educação financeira para crianças faz bem

Aprender o valor do dinheiro desde cedo ajuda a evitar erros na fase adulta. Foto: iStock, Getty Images

Educação financeira para crianças: 6 conceitos

Confira seis conceitos que devem fazer parte da educação financeira para crianças e ofereça aos seus filhos todos os benefícios de contar com esse tipo de ensinamento.

1. Mesada

A mesada é um dos instrumentos mais populares para ensinar os filhos a lidar com o dinheiro e fazer as próprias escolhas. Você pode associar o dinheiro a tarefas e atitudes das crianças, como desempenho escolar e organização do quarto. Mas não trate como uma recompensa, o que seria errado.

2. Poupança

Crie um mecanismo para incentivar seu filho a não gastar toda a mesada, como uma “caixa da alegria” ou um cofrinho. Dê o exemplo e mostre como poupar no dia a dia.

3. Elogios e reconhecimento

A criança economizou dinheiro e se mostrou consciente no uso dos recursos? Então é hora de ser reconhecida por isso. Se ela associar a educação financeira a algo bom, como os elogios, é provável que vá agir de forma racional no futuro.

4. Dívidas

Digamos que a criança tenha usado o dinheiro além do que devia. Nesse caso, explique que ela começará o mês seguinte com um valor menor do que teria se tivesse gastado de forma consciente.

A noção de dívida é importante porque, na vida real, o dinheiro gasto mensalmente traz consequências para a saúde financeira, e não pode ser solucionado com uma simples mesada um pouco maior.

5. Paciência

Saber dizer não é essencial para exercitar a paciência entre os pequenos. Aquele brinquedo parece fantástico, mas, se a criança já ganhou o previsto em presentes para o mês, é preciso esperar para não banalizar o prêmio, por exemplo. Outra dica é mostrar à criança quanto tempo é necessário trabalhar para comprar determinado produto.

6. Origem do dinheiro

É fundamental que as crianças entendam como o dinheiro chega até você. Com exemplos práticos, explique que o dinheiro é uma retribuição pelo trabalho, e que nada vem de graça.

Você vai se interessar por:

Educação financeira nas escolas é vantajosa

Não cabe apenas aos pais a tarefa de educar financeiramente as crianças. Nessa hora, a própria escola, por meio do auxílio de professores e de aulas específicas, pode contribuir para a formação das crianças.

Ao ver o discurso de casa reforçado pelo professor e dividido com os colegas, é provável que a criança irá dar mais relevância ao assunto. Além disso, a abordagem do tema em sala de aula tende a seguir métodos pedagógicos que são mais interessantes para os pequenos.

Com essa atitude, todos saem ganhando: as crianças aprendem a lidar com o dinheiro, os pais educam filhos mais conscientes e as escolas se posicionam com um diferencial em relação ao mercado.

 

Este artigo sobre educação financeira para crianças lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

vale a pena economizar
como aprender com erros de finanças
inteligência financeira para vencer na vida
melhor forma de economizar
como lidar com a ganância
sair da crise