Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

4 atitudes que atrapalham a conquista da prosperidade financeira

A- A+

Vários fatores, muitos deles difíceis de se perceber, levam uma pessoa a gastar mais do que ganha. São os maus hábitos do dia a dia que acabam se tornando um problema maior no final do mês, provocando um descontrole no orçamento e impedindo a conquista da tão sonhada prosperidade financeira.

Você sabe quais são as suas atitudes que mais atrapalham as finanças, prejudicando a ideia de juntar dinheiro para garantir um futuro mais tranquilo? Ao identificá-las, é possível corrigir sua postura e assumir o controle da situação financeira para realizar sonhos.

Mulher busca a prosperidade financeira

Fazer o planejamento das despesas é fundamental para economizar e sonhar. Foto: iStock, Getty Images

Para onde vai o meu dinheiro?

Se você não se da conta e, quando vê, o dinheiro acabou, é preciso ficar atento a atitudes comuns que levam ao endividamento e atrapalham qualquer chance de economizar. Sempre é tempo de mudá-las e conquistar a prosperidade financeira. Confira quatro erros comuns e fuja deles:

Não fazer um planejamento

Um dos maiores problemas de quem não consegue ter estabilidade e segurança financeira é a falta de organização do orçamento. Não saber como gasta o dinheiro ou quais são as contas fixas e variáveis acaba levando ao descontrole e endividamento, além de impossibilitar planos em longo prazo.

Comprar por impulso

Outro vilão da prosperidade financeira é a impulsividade na hora de comprar, principalmente itens caros. Para evitar arrependimentos depois, pense pelos menos um ou dias antes se aquela compra realmente é necessária. Caso seja, tente juntar dinheiro e comprar à vista, ou, então, organize o orçamento dos próximos meses para receber as parcelas.

Não guardar dinheiro

Um dos erros mais comuns é não guardar dinheiro ou guardar apenas o que sobra no fim do mês. O ideal é, assim que receber o salário, separar a parte que vai para a poupança, evitando que fique parado na conta corrente. A dica é guardar de 7% a 10% da renda mensal e ir aumentando essa porcentagem conforme os objetivos.

Gastar muito em moradia

Os gastos com moradia geralmente são altos e, se não ficar atento, podem comprometer o orçamento. A dica é que as despesas com financiamento e aluguel não representem mais de 30% do total da renda, incluindo também taxas e seguros nesse índice.

Conquista a sua prosperidade financeira

O primeiro passo para mudar os maus hábitos é identificar o que mais está prejudicando o orçamento. Juntar dinheiro, alcançar a prosperidade financeira e realizar sonhos exige muita disciplina e controle, mas a recompensa vale a pena.

Comece pelo planejamento orçamentário, descrevendo todos os detalhes de gastos e ganhos mensalmente, seja num caderno, planilha eletrônica ou por aplicativo de celular. Mais importante anda é seguir à risca o que foi determinado.

Além disso, programe na previsão uma reserva mensal ou um investimento. Pode ser poupança, seguros, previdência privada, fundos de investimento ou Tesouro Direto. Você deve escolher a opção que mais se encaixa nas suas necessidades e objetivos.

Por último, estabeleça metas e coloque prazos para conquistar seus sonhos. Ter um objetivo final em mente torna o controle e a disciplina mais fáceis, além de ser um passo muito importante para conquistar a prosperidade financeira.

Você vai se interessar por:

Organize suas finanças

Para aprender a controlar as contas do lar, é preciso ouvir quem sabe. Se você quer usar o seu dinheiro de um jeito mais inteligente, conheça o Vivo Finanças Pessoais. Com ele, você recebe mensagens e participa de jogos que lhe ajudam a controlar seus gastos, poupar e investir. E você ainda participa de sorteios diários.

> Vivo Finanças Pessoais: Receba dicas por SMS e concorra a R$ 2.500 todos os dias

Gostou das dicas para alcançar a prosperidade financeira? Compartilhe!

vale a pena economizar
como aprender com erros de finanças
inteligência financeira para vencer na vida
melhor forma de economizar
como lidar com a ganância
sair da crise