Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

10 apps que são alternativas ao WhatsApp bloqueado

A- A+

O aplicativo mais baixado do Brasil está de recesso. Usuários acostumados a trocar mensagens instantâneas pelo smartphone terão que encontrar alternativas ao WhatsApp – ao menos durante 48 horas. Esse é o prazo de bloqueio do app no país, atendendo a uma determinação judicial.

Se você não se imagina passar dois dias sem teclar com amigos, colegas e familiares pelo celular, ou precisa da ferramenta para seu trabalho, é bom conhecer opções de função semelhante. Quem sabe você não gosta delas e faz a troca permanente?

Apps são alternativas ao WhatsApp

Opções não faltam para você manter a comunicação por mensagens instantâneas. Foto: iStock, Getty Images

10 alternativas ao WhatsApp

Seja por motivos pessoais ou profissionais, você pode enfrentar dificuldades com o bloqueio do WhatsApp. Para não perder contato com pessoas queridas ou mesmo deixar que isso atrapalhe seus negócios, confira 10 apps que se candidatam a alternativas.

Telegram

Esse é o principal postulante a substituir o WhatsApp. Assim como o app mais famoso, o Telegram permite a comunicação por texto, vídeo e imagens. Como recurso adicional, é possível compartilhar documentos em formatos diversos, como pdf e doc. É totalmente gratuito e sem propagandas.

Viber

Há quem o considere como a melhor opção para substituir o WhatsApp. E um fato que colabora para isso é a sua disponibilidade em vários sistemas operacionais – não apenas nos tradicionalmente mais utilizados. Funciona de forma muito semelhante: usa o número do seu telefone como informação de contato e possibilita desde a troca de mensagens a chamadas.

Facebook Messenger

O app está ligado ao Facebook, mas funciona de forma parecida ao WhatsApp. Com ele, você pode trocar mensagens de texto, voz e emoticons. O ponto negativo é que só é possível conversar com contatos de sua rede social.

Hangouts

Quem tem uma conta Google, pode contar com essa opção, que tem também quase todos os recursos do WhatsApp. Permite a troca de mensagens por texto, criar grupos e até realizar videoconferências. Como recurso extra, adicionou o serviço de envio de mensagens no formato SMS.

Skype

Com nova versão para Android, o programa de mensagens da Microsoft ganha ainda mais popularidade. Nascido para computadores, ele migrou para dispositivos móveis, onde também oferece a possibilidade de trocar mensagens por texto ou vídeo – esse, aliás, é o recurso de destaque do app. Ponto negativo é o excesso de propagandas.

WeChat

O “WhatsApp chinês” faz tudo o que o original faz e com um bônus: a função “Olhar ao Redor” possibilita ao usuário encontrar pessoas próximas. O app também se contecta ao Facebook, permitindo que seus contatos o localizem de forma rápida.

Line

Os stickers, simpáticas figurinhas, são o diferencial desse aplicativo, trazendo mais diversão para a conversação. Permite troca de mensagens de texto e também faz chamadas. Tem como diferencial a plataforma QR Code acoplada. Mas peca ao não mostrar quando um amigo está online.

KaKaoTalk

Pouco popular no Brasil, mas cheio de funcionalidades: oferece mensagens de texto, de voz, com imagens, áudios e ainda compartilha eventos e contatos. Uma facilidade é que o app sincroniza automaticamente os números da agenda do usuário, adicionando-os à lista do aplicativo.

Kik Messenger

Opção um pouco mais limitada, pois conta com a troca de mensagens de texto, por voz e por imagens de forma instantânea, mas não oferece a possibilidade de fazer chamadas.

Groupme

Entre as alternativas ao WhatsApp, esse aplicativo é indicado para quem gosta de conversas em grupo. Troca mensagens instantâneas pela internet ou via SMS. Ou seja, mesmo offline, ele segue funcionando (e cobrando pelo envio nesses casos, claro). Não oferece a possibilidade de conversa individual.

> WhatsApp bloqueado: como driblar a restrição com conexão VPN

Por que o WhatsApp foi bloqueado?

Se você busca alternativas ao WhatsApp, deve estar se perguntando: afinal, por que o app foi bloqueado? Segundo nota do Tribunal de Justiça de São Paulo, a determinação partiu da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, a partir de processo que corre em segredo de justiça.

A informação é que o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial em julho e também a nova notificação, em agosto. “O Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet, o que foi deferido pela juíza Sandra Regina Nostre Marques”, diz a nota.

Segundo o site Consultor Jurídico, a origem do bloqueio estaria na prisão de um homem acusado de latrocínio, tráfico de drogas e associação ao Primeiro Comando da Capital (PCC) pela Polícia Civil de São Paulo, em 2013. Nas investigações, a Justiça solicitou ao Facebook, proprietário do WhatsApp, o acesso a informações e dados de usuários do aplicativo, mas não foi atendida.

Liminar autoriza desbloqueio nesta quinta

No início da tarde de hoje (17/12), uma liminar do desembargador Nilson Xavier de Souza, da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou a liberação do WhatsApp. Uma comissão formada pelo desembargador e outros dois colegas do TJSP ainda deve julgar a questão. Se for improcedente, o bloqueio pode voltar. Mas, vale considerar que o TJSP entra em recesso a partir desta sexta-feira (18/12). Portanto, os prazos ficam suspensos e as atividades são retomadas em 18 de janeiro.

 

Para você, qual a melhor das alternativas ao WhatsApp? Comente!

Pokémon Go
queda do dólar
viajar para a China
viajar para a Tailândia
juros cobrados no cartão de crédito
como lidar com a avareza